Luz que alumeia

O livro "Benditos", do fotógrafo, Tiago Santana, completa 10 anos. Marco da fotografia cearense, suas imagens cruzaram as fronteiras do mundo

Há exatos 10 anos, quando as ruelas da mística Juazeiro do Norte fervilhavam com a entrada de paus-de-araras, carregados de devotos do ´Meu Padim Padi Ciço´ (a intimidade permite o pronome possessivo), para chorar as dores do Dia de Finados, outro acontecimento histórico se formava em torno da virada de milênio.

No começo do século XXI, quando todas as previsões messiânicas, visões apocalípticas e temores do fim do mundo, apavoravam os mais crédulos, o lançamento do livro de arte intitulado ´Benditos´, do ainda jovem e talentoso fotógrafo Tiago Santana, nascido no Crato e criado no epicentro da meca nordestina, chegava para transformar e reforçar conceitos e estéticas.

"Passei toda a década de 90 fotografando diversas festas populares de Juazeiro. Fui amadurecendo, aprendendo a fotografia durante a produção desse trabalho. Foram vários processos e participei de todos. Todas aquelas imagens estavam dentro de mim, no imaginário da minha infância, nas semanas inteiras suspensas de aulas por causa das romeiradas. Foi um tempo muito rico", diz Tiago. Uma década depois, "Benditos" transformou-se em um ícone da nordestinidade espiritualizada. Nossos lutos e fragmentos de vida estão refletidos na escuridão densa que permeia o trabalho autoral do artista caririense, e nas imagens registradas aos pedaços.

"Estou com 21 anos de fotografia profissional, mas considero meu amadurecimento verdadeiro a partir de ´Benditos´. Todo meu aprendizado foi fazendo esse trabalho", diz Santana.

"Mas, ao contrário do que todos dizem que fotografar é um ato solitário, considero esse livro inteiramente coletivo. Foi, e é, um marco na minha vida, na minha região, nos meus colegas de profissão e no meio artístico", diz Tiago.

Desde o primeiro trabalho solo, sempre sob a retaguarda preciosa do estudioso Gilmar de Carvalho, da Universidade Federal do Ceará (UFC), registros valiosos de uma época estão em processo de construção. "Acompanhei a feitura de Benditos e digo que foi um exercício continuo de um olhar sem medo", diz Gilmar. "Tiago buscou sensações únicas e seu interesse era pelo devoto, pelos penitentes, pela fonte de energia mística que rodeia o Juazeiro. As futuras gerações fatalmente irão estudar esse livro", prediz.

Ao longo dessa década, as imagens de "Benditos" foram premiadas como: Melhor Fotografia Nahe dem Wildem Herzen, em Munique, na Alemanha; Bolsa Vitae de Arte da Fundação Vitae, em São Paulo, 1994; e Prêmio Marc Ferrez de Fotografia da Funarte, no Rio de Janeiro, 1995. O fotógrafo também participou de exposições em diversos países do mundo, como Japan Photographic Society, em Tokyo, Japão, em 2008; Musée Dapper, em Paris, França, em 2005; The Ashmolean Museum of Art and Archaeology, em Oxford, Englaterra, em 2001; Galeria L´Oeil Nu, em Liege, Belgica, em 2001; além do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, em Fortaleza, em 2000, e do SESC Pompeia, São Paulo, em 2010.

Tiago Santana está de viagem marcada para a China. Lá levará seu segundo trabalho autoral "O Chão de Graciliano". Próximo mês, lança o livro "Sertão dentro de mim", que traz a história do poeta Patativa do Assaré. A Exposição Cariri Mágico e Benditos ficará aberta ao público até dia 30 de outubro, das 10 às 18 horas.

LIVRO
"Benditos"

Tiago Santana
R$ 50, 00
160 PÁGINAS
EDITORA TEMPO D´ IMAGEM

O Espaço Cultural Porto Freire (Rua Joãozito Arruda, S/N, Cidade dos Funcionários. Contatos: 3459.0061) abre, hoje, às 20 horas, a exposição "Cariri Mágico", com relançamento do livro "Benditos", de Tiago Santana, e show do instrumentista Manassés.

NATERCIA ROCHA
REPÓRTER