Coluna Arte Cearense

Pintura de Aldemir Martins

Sem título


O artista plástico Aldemir Martins nasceu na cidade de Aurora, aos 8 de novembro de 192, tendo falecido em São Paulo, aos 5 de fevereiro de 2006 . Dedicou-se, com o mesmo talento e criatividade, à pintura, à escultura e à ilustração. Seus traços são vincadamente pessoais, em tom inaugural

Poemas de Horácio Dídimo

Os minutos

tanto depende
(relógio sorriso)
de tão pouco

tudo depende
(instante paisagem)
de tão nada

oh inaudíveis
minutos diamantes
desperdiçados

Quem é?

Quem é que brinca
De esconde-esconde
Com as palavras?

E que traduz
O que é a paz
Em nossas almas?

Quem perde a conta
De quantos dedos
Põe num chinelo?

E na hora de
Pregar um prego
Perde o martelo?

Quem é que conta
Aos personagens
O seu enredo?

Quem é que escova
Os pensamento
De manhã cedo?

Quem é que assusta
Velhos fantasmas
E não tem medo?

E que descobre
Que cada gesto
Guarda um segredo?

Ano novo

O tempo passa
O rio corre
A vida é graça
A fé não morre

A chuva cai
O sol descansa
Cada ano traz
Nova esperança

Um vento breve
Toca de leve
Em cada flor

Deus trino e terno
Nos diz que eterno
É seu amor

A conjuntura

o violino diz que sim
o violão diz que não

e o poeta faz dó
ré mi fá
sol lá si
com as suas palavrinhas.