Chico Total

Prestes a completar 79 anos o Mestre do Humor no Brasil, Francisco Anysio de Oliveira Paula Filho ou simplesmente Chico Anysio, demonstra muita disposição, comenta sua saúde, seus projetos, negócios, política e confessa seu amor pela Rede Globo. Em Quixadá para a filmagem de “O Auto da Camisinha”, Chico falou até de sua saúde, antes da entrevista que reproduzimos abaixo. “Muito bem, obrigado. Dificuldade apenas para realizar longas e esforçadas caminhadas. Culpa do vício. Abandonei o cigarro aos 26, mas o estrago já estava feito´. Com vocês, Chico Total

Quais são os seus atuais compromissos profissionais?

Estou com cinco filmes para fazer; tenho três shows, que faço intercalando uns com os outros: ´Chico.Tom´, que eu faço com o Tom (Cavalcante); ´De pai pra filho´, que eu faço com o André (Lucas) e ´Eu conto e vocês cantam´, que eu faço com a platéia e ainda dois projetos entregues a Rede Globo para os quais aguardo o que acontece. Eu posso levar esses projetos para uma tevê a cabo, talvez a GNT. Os filmes são: ´Uma professora muito maluquinha´, do Ziraldo, do qual participo daqui a duas semanas em São João Del Rey, Minas Gerais; depois vou fazer a vida do Frank Aguiar, faço o empresário dele, em São Paulo e depois ´A hora e a vez de Augusto Matraga´. Há ainda um outro filme, do qual não recordo o título, mas lembro que farei o papel de Deus e também de um homem do povo. Há ainda um filme de Bruno (Mazzeo), meu filho, e até uma dublagem, de um filme de Walt Disney. Também estou fazendo o roteiro de uma novela, da terceira idade. Estou escrevendo com meu irmão, ao ritmo do ´Pantanal´. Não revelo o título, mas o gênero é drama. São projetos futuros.

Seu contrato com a Globo encerra em 2012. Já surgiu alguma proposta?

Muitas, mas não quero. Já teve a Record, mas esbarrou na multa. Minha multa pela rescisão de contrato é de R$ 5 milhões. Já fui cogitado para ir para o SBT umas quatro vezes, há anos atrás, mas sou apaixonado pela Globo. Acredito que na Globo fico até a eternidade. Vou entrar agora na Zorra Total em abril, vou fazer o quadro do Alberto Roberto, no décimo aniversário da Zorra. A Zorra foi uma criação minha. Criei e passei pro Manga (Carlos) e o Manga passou pro Sherman (Maurício) e tá com o Shermam até hoje. Eu combinei com ele que eu vou entrevistar a Heloisa Perissé, minha nora, mãe da minha neta. O personagem aparece apenas no programa especial. Não quero sair da Globo. Já tive muita chance de sair da Globo. É a minha casa. Ajudei a construí-la. Me sinto muito bem lá. Se não estão me dando nada para fazer é porque estão achando que estou merecendo um descanso. Mas se cheguei a Quixadá numa cadeira de rodas foi somente para me poupar. Como já falei o meu problema é um enfisema. Eu fumei muito. Ando daqui ali e me canso. Esse é meu único problema. A minha pulsação é 12/8. Tenho 86 batidas por minuto. É tempo de atleta. Vou até 110 brincando. Podem me encher o saco até os 110 anos.

A crítica fala mal do Zorra Total. Aponta que o programa não tem audiência.

Na lista da Globo, o Zorra é o décimo programa mais visto. Eu já ouvi falar do CQC, mas eu fui ver o Ibope desse programa, tem três pontos no Ibope, três. Então, só jornalista é que vê. Por isso é tão elogiado. O Pânico tem quatro. O programa da Globo que eu ouço grandes elogios é ´A grande família´.

Quais os melhores humoristas da televisão brasileira na sua opinião ?

É difícil de dizer porque não tenho visto, como já falei, não vejo tevê aberta. Eu gosto muito do Leandro Hassum, da Claudia Gimenez, Heliosa Perissê, do Pedro Cardoso. Não tô contando dos humoristas cearenses, porque eu gosto de todos, a começar do Tom. Acho uma coisa dos cearenses, já falei até com a Rossicléa, que são muito coloridos. Não precisa isso. Não precisa aquele excesso de maquiagem, porque ela é engraçada de cara limpa e com a roupa que ela tá. E o Tom é um bom exemplo. Ele se veste legal, de forma simples. Eu acho que o único defeito do comediante do Ceará é o excesso de cores nas roupas. Acho isso um erro. Eu gosto muito do Tom, mas não gosto do programa dele. Acho que ele é quem tem que fazer a graça no programa. Ele está fazendo o oposto. Ele é quem chama os humoristas.

E quanto aos humoristas do cinema ?

Eu não gosto de filme de humor. Quanto a Mazzaropi, Oscarito, Grande Hotelo. Valter Dávila, Brandão Filho, Rogério Cardoso, esse pessoal todo representou um tipo de comédia no tempo deles. Há uma frase famosa: ´ninguém é insubstituível´. Mas essa frase não se aplica ao humor, porque no humor todos são insubstituíveis. É justamente o oposto. É por isso que jamais vai existir alguém como eles.

Se você não fosse o Chico Anysio e tivesse a oportunidade de entrevistá-lo, qual pergunta que ainda não lhe foi feita faria ?

Por que você não está na grade da Globo ?

Então responde.

Não sei, porque ninguém nunca me fez essa pergunta. Se não estou é porque ela não pôs. Eu sou dela. Ela faz comigo o que ela quiser. É dona do meu coração.

E a política?

Vejo a política como todo mundo, com muita tristeza. Só político vê bem a política. Fora ele ninguém mais vê. O Brasil é um país estranho. Com certeza não foi o Brasil quem inventou a corrupção, mas sem dúvida foi quem inventou a impunidade. É o único país do mundo onde quem rouba não tem que devolver o dinheiro que roubou´.

Então, Chico, quem deverá ser o sucessor de Lula, a Dilma Rousseff ?

O Serra (José) né!? É, talvez o Serra! Eu não voto mais. Eu passei dos 70 e desde então não voto mais. Eu errei muito o meu voto. Na eleição de Fernando Collor eu votei no doutor Ulisses (Guimarães); na eleição do Getulio (Vargas) votei no Cristiano Machado. Errei tudo. Errei tudo. Errei tudo. Eu sou ruim de voto´.

E o cenário cearense?

Nosso Estado melhorou muito. Melhorou muito porque houve o governo do Tasso (Jereissati) e em seguida o do Ciro (Gomes). Foram 16 anos. O Lúcio Alcântara foi bem também, eu acho. Não sei quem veio depois dele.

Foi justamente seu irmão, o Cid.

Ah, pois é, o irmão do Ciro, o que se preocupou com a violência, com a segurança. Comprou um monte de Hilux, não foi ?! Conheço muito o Ciro e conheço muito pouco o Cid.

ALEX PIMENTEL
Colaborador

FIQUE POR DENTRO
CRÍTICAS A BUSH E AMOR AO FERRIM

O ´Homem de muitas faces´, como o próprio Chico Anysio se apresenta no seu portal eletrônico, permaneceu três dias em Quixadá. Foi a primeira vez que participou de um filme produzido e rodado na sua terra natal.

No período em que permaneceu na cidade, fez muitas amizades, distribuiu simpatia e sinceridade. Na entrevista coletiva com os atores e produtores do filme ´O Auto da Camisinha´ recebeu de uma jornalista uma camisa do time do Maranguape, cidade onde nasceu. Agradeceu, mas confessou que o seu amor futebolístico no Ceará é o ´Ferrim´ (Ferroviário Atlético Clube). Na sua breve passagem pela terra da Galinha Choca, na noite anterior, ao ser homenageado com a comenda Rachel de Queiroz, concedida pelo povo de Quixadá somente a grandes personalidades, Chico Anysio já havia comentado sobre a política internacional.

Criticou os americanos e chamou o ex-presidente George Bush de imbecil e débil mental. ´Foi o único presidente eleito tendo menos votos que o outro, o Al Gore. Ainda foi reeleito. Quem votou nele é imbecil também´. Naquele momento Chico Anysio estava sendo homenageado, mas não perdeu a oportunidade de transformar o auditório da Câmara de Vereadores da cidade num teatro. Está acostumado com platéias, e risos, não faltaram. Ele ainda analisou aeconomia mundial. ´Antigamente, pro Brasil produzir dinheiro tinha que ter um lastro de ouro. Para se produzir um milhão de cruzeiros tinha que ter a mesma quantidade em ouro. Mas como o dólar é aceito em qualquer lugar do mundo, eles fabricam dólar como fabricamos goiabada. Falam em quatro milhões de dólares como se falasse em duzentos mil réis antigamente. Acabaram de dar U 35 milhões para uma firma. Esse dinheiro vai aniquilando países pelo mundo todo e o primeiro país a se recuperar vai ser a América´.