Teatro

Silêncios e balanços

02:41 · 27.10.2007
( )

Quem é que nunca parou para refletir sobre a própria existência? A resposta, na maioria das vezes, é o silêncio e quando ele aparece o que nos resta é sentir. Com esse mote, estréia amanhã o espetáculo ´En passant´, no Teatro Sesc Emiliano Queiroz

De um encontro entre três amigos artistas e um experiente produtor teatral surgiu a necessidade de montar uma peça que exprimisse o momento de dúvidas no qual viviam. E foi, literalmente, a oito mãos que Rafael Martins (autor e sonoplasta), Jadeilson Feitosa (ator e diretor), Milena Pitombeira (atriz) e Mário Alves (produtor) criaram ´En passant´.

A história, em cartaz neste sábado e domingo, no Teatro Sesc Emiliano Queiroz, mostra um homem e uma mulher que se encontram em uma praça de madrugada. Eles dividem suas angústias, dúvidas e sensações. Apesar de não conseguirem desenvolver uma comunicação eficiente, ambos sentem necessidade de retornar àqueles balanços da praça, indo ao encontro um do outro.

Essas madrugadas silenciosas são delicadas metáforas poéticas do abismo existencial e da ausência de respostas às nossas perguntas mais íntimas. São essas questões que os artistas querem despertar. De acordo com o autor da peça, o que importa em ´En Passant´ não é a ´trama´ e sim as sensações despertadas em cada um que assiste. ´O que prende não é a história e sim o sentimento. A sensação é de que o espetáculo apresenta brechas que são preenchidas por cada pessoa´, explica Rafael.

Ao longo dos 50 minutos de espetáculo, o texto se apresenta mais e mais fragmentado em diversas elipses que vão se distanciando do real para dar vazão às sensações. ´Não é uma história realista. Tem horas que é o pensamento do autor que aparece, horas é o próprio Jadeilson que se expressa...´, adianta Rafael. O vazio é a principal matéria, a qual o espetáculo tenta dar forma.

Sentimento em cena

Para os atores, é difícil a tarefa de usar outras linguagens para despertar sentimentos, sem parecer piegas. ´A gente foi passando por um processo. Buscar sentir o que o personagem sentiria e não criar histórias. Ficava sempre muito confuso e difícil´, confessa Milena Pitombeira. ´A gente sofreu´, admite Jadeilson.

Autor de espetáculos como Lesados, O Realejo, Caio & Léo, O Livro e Auto da Cobra, Rafael também penou durante a criação. ´Em nenhum desses textos eu demorei tanto para escrever. E nenhum foi tão desgastante. Foi uma experiência muito desafiante´, conta.

A dificuldade está em mergulhar dentro de si próprio e tentar exprimir em arte as angústias existenciais. Difícil também é contar a história de ´En passant´. É que cada um consegue ver o balanço de uma forma. Mais fácil é simplesmente sentir.

Karine Zaranza
Repórter


Mais informações:

Estréia do espetáculo ´En Passant´, nos dias 27 e 28 de outubro às 20 horas, no Teatro Sesc Emiliano Queiroz. Ingressos no Local: R$ 14,00 (inteira) e R$ 7,00 (meia). (8764.04 64).

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.