Comédia

Retorno de Crô

De volta às telas de cinema, o personagem Crô, da novela Fina Estampa, se vê cercado por familiares esquisitos no novo longa; Marcelo Serrado fala sobre nova trama dele nesta sequência

A nova família é o núcleo principal do filme
00:00 · 06.09.2018 por Mylena Gadelha Repórter
Carlota Valdez, interpretada por Monique Alfradique, é uma das personagens que não deverá facilitar a vida de Crô durante o novo longa com críticas sempre muito ácidas

O sucesso de Crô, personagem da novela Fina Estampa, lançada em 2011, foi nacional. Na trama televisiva ele era mordomo da vilã Teresa Cristina, interpretada por Cristiane Torloni, uma socialite mau-caráter e muito ambiciosa.

E não foi à toa, vendo o apego do público, que ele ganhou o privilégio que poucos personagens das telenovelas têm: o de ter um filme como protagonista.

O primeiro longa de Crô, interpretado pelo ator Marcelo Serrado, saiu nas telas do cinema ainda no ano de 2013 e, naquela época, levou mais de 1,6 milhão de espectadores aos cinemas. Além disso, o filme chegou a faturar mais de R$ 14,1 milhões no País.

A aposta do novo longa, intitulado "Crô em Família", a ser lançado nos cinemas nesta quinta-feira (6), é de trazer a figura de volta às telonas e dessa vez com um adicional: os familiares. Além disso, o filme se propõe a abordar diversidade, amizade e família.

Sinopse

Agora, Crô é um empresário famoso, que possui a própria escola de etiqueta e finesse. Entretanto, nem tudo parece estar completo na vida. Ele se vê sozinho em vários momentos e começa a sentir falta de laços mais próximos.

Mesmo que a premissa seja a solidão dele, tanto o elenco como o autor prometem que o riso é garantido ainda com mais força nesta sequência. "O Crô está muito na memória, no inconsciente das pessoas. E esse filme tem uma pegada mais cômica ainda", explica Serrado. Já para Aguinaldo, que o concebeu, ele não perderá tão cedo o encanto de quem o acompanha desde sempre.

De acordo com o autor, Crodoaldo Valério, nome completo do personagem, é querido pelo público justamente por apresentar a questão da identificação. "Crô será eterno enquanto dure. E vai durar eternamente porque é popular", comenta ele.

Roteiro

A história original de Crô veio de Aguinaldo Silva, ainda na novela, mas dessa vez quem fica responsável pela adaptação da história é Leandro Soares, criador do roteiro.

"O Crô é um personagem que o público já gosta, passou por novela e por outro filme. Você tem que vir e entrar dentro das regras desse universo", conta ele.

De acordo com Cininha de Paula, diretora do filme, mesmo que Crô já seja um personagem conhecido, tramas novas não ficam de fora dessa nova fase dele. Ela ressalta que o novo núcleo integrante da história é essencial para que ela tenha andamento.

"Eu gosto muito da comédia que envolve a família. Todos os meus projetos de comédia que eu fiz até hoje sempre, de uma maneira ou de outra. Eu acho que a novidade é essa: a família", afirma.

Porém, a parte familiar dessa história não parece ser das mais convencionais. Carente e vulnerável, ele se vê num dilema ao lado de parentes não tão confiáveis assim.

Novas caras

Orlando (Tonico Pereira), Marinalva (Arlete Salles), Luane (Karina Marthin), Nando (João Baldasserini) e Liz (Mel Maia), integram os personagens novos na trama do novo empresário. Arlete Salles, inclusive, explica um pouco das figuras desses novos parentes na vida do protagonista da história.

"A relação da Marinalva com o Crô começa com ela se apresentando como a mãe dele, que foi obrigada a separasse dele quando era bebê, e depois descobre que não é nada disso, que ela é uma golpista", comenta.

Revisitado

Marcelo Serrado já parece ter se acostumado a entrar na pele de Crô. Desde 2011 vivendo o personagem, ele acredita no sucesso com os mais diversos públicos, inclusive crianças.

Além disso, explica que a recepção de Crô, especificamente no cinema, foi muito boa desde o início.

"Voltar a um personagem depois de tanto tempo é incrível. O primeiro filme foi bem bacana, teve um público, a gente passou de mais de 1,5 milhões de espectadores, que é uma marca pouco atingida no cinema brasileiro das comédias", opina.

A preparação, mesmo depois de tanto tempo, ainda é tão intensa quanto antes.

"Eu faço uns 40 minutos só de maquiagem e laquê. É fundamental para o personagem. Vieram figurinos de fora, chiquérrimos, a gente trabalha muito com cores", diz o ator ao falar também da cartela de cores e da produção dos cenários e das roupas que o elenco usa no filme. Para Marcelo, um dos pontos altos do longa é trazer um conteúdo bem divertido para quem está assistindo

Ainda mais

Porém, os problemas de Crô não se resumem apenas à família que entra de repente na vida dele.

A personagem de Carlota Valdez, que é interpretada por Monique Alfradique, será outro empecilho no trabalho Ela é uma colunista de celebridades que pega no pé de Crô com críticas ácidas.

O que é unanimidade entre os que participaram das gravações, é o caráter divertido da nova trama.

"O público vai se divertir muito com ele, vai sofrer muito com ele, vai chorar junto com ele. Eu acho que, como toda a situação de família, engloba o que acontece no nosso dia ", explica Cininha.

Relações

Muitos dos atores que passam por "Crô em Família" já trabalharam com Serrado. Arlete Salles e Fabiana Karla, que também integra núcleo do filme, já passaram pela experiência e são só elogios.

"Eu estou muito feliz de fazer parte desse filme porque o Marcelo construiu um time gigantesco ao redor dele", contou Fabiana Karla, que no filme é Jurema, uma das melhores amigas de Crô.

Agora, o que vale conferir são as próximas aventuras e o que esses novos personagens acrescentarão na vida de Crodoaldo Valério.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.