Entrevista

Patrícia: sonho de artista pós-BBB18

Eliminada do "Big Brother Brasil" 18 com o maior índice de rejeição desta edição até o momento, com 94,26%, Patrícia Leitte, de Icó, fala em entrevista exclusiva ao Zoeira. A ex-BBB admite que errou no jogo, torce pelo Kaysar e pretende seguir sua "veia artística" em programas na Globo

00:00 · 28.03.2018
Patricia
"Queria fazer o programa da Fernanda Lima. E tem o Zorra Total, quem sabe não faça uma participação por lá" ( Foto: Fabiane de Paula )

Zoeira: Você chegou a ver seus vídeos após a eliminação? O que achou?

Patrícia: Vi muita coisa e o quanto vídeo engorda, pois o comentário que eu mais escuto aqui fora é nossa como você é magra. Eu peso 62 quilos e tenho 1,65 m. No vídeo eu ficava imensa e não me favoreceu alguns ângulos. Mas a vilã tinha que ser uma coisa negativa e ruim, e compôs o personagem que foi transmitido de ser vilã e do "trio mandinga" (com Ana Paula e Diego) e tudo o que foi passado aqui. Mas estou feliz de quando as pessoas me veem pessoalmente e se admiram e falam 'nossa como você é bonita'. Isso é bom para o meu ego e para minha vaidade, pois eu me senti muito atingida quando sai por esta questão do meu peso.

E quem te contou sobre as coisas que aconteciam lá?

Minha família. E eu não sabia que existia tanto esta questão do preconceito do peso. Isso me assustou muito, pois a mulher brasileira é grandona, tem um corpão e é conhecida no mundo inteiro por ter curvas bonitas e eu fui tão metralhada por isso.

Vimos algumas piadinhas suas com Diego e com Ana Paula um pouco mais ácidas. Você se considera daquele jeito ou foi a falta do que fazer na casa?

Lá na casa a gente não tem o que fazer, a verdade é esta, e a gente vai tendo leitura das pessoas, cada um é um livro, como o Diego falava sabiamente, e eu sou muito de falar o que eu penso. Como jogadora fui péssima, porque se você se expressa as pessoas te condenam. É hipocrisia você falar que nunca fez um comentário de alguém aqui fora, na vida real, que você comenta as atitudes das pessoas. Mas algumas são hipócritas e dizem que nunca falam, mas a gente sabe que isso é mentira. E lá dentro tudo o que você fala é muito intenso. É visto aqui fora como uma coisa muito ruim e a proporção acabada sendo maior. Tem o tal dos 'haters', que eu não conhecia, que acabam pegando pesado e levaram tão pesado este lado que até atacaram meu filho.

E como ele encara isso? Você tenta protegê-lo ao máximo?

Eu fui muito bem na criação do David (11 anos) porque ele se mostrou maduro, enfrentou e falou minha mãe não é assim, ela está lá jogando. Pois lá é um jogo e você jogando quer que outra pessoa saia e que você e seus amigos fiquem. E a lealdade foi uma coisa que eu preguei muito lá. Eu sou muito aqui fora o que eu fui lá dentro de proteger os meus.

E a relação com o Kaysar como foi para você? Acha que ele está "saidinho" em relação a Jéssica e a Ana Clara?

O Kaysar sempre foi assim como ele está sendo, ele é muito carinho. Tanto é que quando eu entrei na casa a primeira pessoa que eu me aproximei foi dele, porque senti esta receptividade dele comigo. Vi verdade nele e vejo até hoje. Não condeno se ele ficar com outra pessoa lá, pois quando saí da casa não deixei nada firmado com ele e não acertamos nada. E se aqui fora a gente conversar e levar isso adiante bom, senão bom também pois fica a amizade. Que ele sempre frisa na casa, após eu sair, que eu era uma amiga que ele tinha de verdade dentro da casa porque ele sabe o carinho genuíno que eu tenho por ele. No meu olhar as pessoas viam isso.

Como sentiu-se ao saber que saiu com 94,26%? E como está lidando com isso aqui fora?

No começo me senti muito mal, mas vendo por outro lado foi bom, pois eu saí como protagonista do programa e tive uma visibilidade incrível e fui várias vezes o primeiro assunto do Twitter. O programa teve uma audiência muito grande e eu fico feliz com o sucesso dele. O interessante é deixar o público agitado nesse frisson nas redes sociais. O programa foi sucesso e eu me sinto feliz em ter feito parte deste sucesso.

No dia seguinte da eliminação do BBB, no programa da Ana Maria Braga, você pediu desculpas para o público. Foi necessário?

Sim, porque o público tem razão em ter julgado, pois minhas atitudes estavam erradas dentro do jogo. A gente erra aqui fora e lá dentro também, e pedir desculpas não faz mal a ninguém. Humildade nunca foi excessiva, ela é sempre necessária. Quando eu pedi desculpas foi genuinamente, pois ofendi alguém. A Gleici tem família e eu discuti feio com ela lá na casa e eu sei que as famílias se doem e não vendo minha alma por R$ 1,5 milhão. Ali dentro eu tentei fazer meu jogo, mas não deu certo e basta reconhecer e pedir desculpa.

Como está a sua vida fora do Big Brother Brasil?

Estou pegando algumas oportunidades que estão aparecendo, algumas presenças vips dentro das possibilidades do meu contrato, pois a Globo renova com os três finalistas e já prorrogou comigo até janeiro. Existem muitas coisas que não posso fazer, mas na medida do possível estou tentando pegar as oportunidades e ficar na veia artística que é o que eu nasci para fazer.

Você teria vontade em fazer participação em algum humorístico da Globo ou outro programa?

Nossa demais, queria fazer o programa da Fernanda Lima, "Amor e Sexo", queria muito. E tem o Zorra Total, que volta agora com a saída do BBB do ar, quem sabe não faça uma participação por lá.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.