depois de 4 anos

Anitta fecha acordo com antiga empresária e põe fim a processo judicial

A ex-empresária movia um processo por danos morais contra a cantora, acusando-a de não pagar a multa pelo rompimento de contrato

13:23 · 15.09.2018 / atualizado às 14:04 por FolhaPress
Anitta fecha acordo com antiga empresária e põe fim a processo judicial
Na época, Anitta afirmou que sentiu a necessidade de trabalhar sozinha por não encontrar alguém em quem pudesse confiar de "olhos fechados" ( Foto: Reprodução / Instagram )

A cantora Anitta, 25, e a empresária, Kamilla Fialho, da K2L Entretenimento, anunciaram nesta sexta-feira (14) um acordo para encerrar uma disputa judicial que já durava quatro anos.  

"As partes fizeram concessões e chegaram a um acordo que agora depende apenas da homologação pelos juízes para encerrar definitivamente a questão", afirmou nota divulgada pela assessoria da cantora. 

Anitta rompeu com a empresária em 2014 para assumir o comando de sua carreira. Na época, ela afirmou que adquiriu o conhecimento para gerenciar a carreira e sentiu a necessidade de trabalhar sozinha por não encontrar alguém em quem pudesse confiar de "olhos fechados".

Fialho então entrou com um processo por danos morais contra a cantora, acusando-a de não pagar a multa pelo rompimento de contrato. Já a artista chegou a acusar a ex-empresária de desviar R$ 2,48 milhões, fato que não chegou a ser comprovado. 

Durante o processo, Anitta teve que depositar judicialmente R$ 3 milhões, em julho de 2015, e teve mais R$ 2,8 milhões bloqueados no início deste ano por não ter feito um segundo depósito. O bloqueio de seus bens, no entanto, foi revogado em junho. 

A cantora, que é uma das juradas da versão mexicana do "The Voice", anunciou no último fim de semana o término de seu casamento com Thiago Magalhães, 27, após dez meses de união. "A decisão foi tomada de comum acordo. A amizade, a admiração e o carinho permanecem", afirmou a cantora em nota.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.