ícone

Anitta diz considerar-se feminista: 'Tento fazer a minha parte'

Para algumas mulheres, a hipersexualização exibida no clipe contribui para a objetificação das mulheres

20:32 · 02.01.2018 por AFP
anitta
O sucesso de "Vai Malandra", aliás, é significativo: já acumula 90 milhões de visualizações com pouco mais de 15 dias no YouTube ( FOTO: Reprodução )

A artista sensação do momento no Brasil, Anitta, disse que se considera feminista e que tenta combater o machismo através de seu trabalho, em meio à polêmica envolvendo seu último videoclipe, 'Vai Malandra', dirigido pelo americano Terry Richardson.

A cantora, de 24 anos, foi tanto elogiada como criticada por este clipe viral, gravado na comunidade do Vidigal, no Rio de Janeiro, em que exibe suas celulites, rebola na frente de rappers hipnotizados e aparece tomando sol em uma laje com várias meninas de biquíni de fita isolante.

Para algumas feministas, a hipersexualização exibida no clipe contribui para a objetificação das mulheres, em especial as periféricas, enquanto outras a consideraram um instrumento de empoderamento feminino.

E Anitta, se considera feminista?

"Sim. Eu como mulher tento fazer a minha parte. Falta muito ainda para que todas nós tenhamos direitos iguais" aos dos homens, respondeu nesta terça-feira Anitta em uma breve entrevista por e-mail à AFP.

"O machismo no Brasil é muito grande. Mas acredito na mudança. Juntas somos mais fortes", acrescentou.

Um dos pontos mais criticados de 'Vai Malandra' foi a contratação, como diretor, do fotógrafo de moda Terry Richardson, vetado recentemente de revistas renomadas como a Vogue por denúncias de assédio sexual.

Quando estourou a polêmica, Anitta disse que quando soube das acusações contra Richardson, após a gravação do clipe, estudou o que poderia ser feito juridicamente, e que, apesar de repudiar qualquer tipo de assédio, decidiu prosseguir com o lançamento do clipe, em respeito às pessoas que tinham trabalhado nele.

Destaque

O sucesso de "Vai Malandra", aliás, é significativo: já acumula 90 milhões de visualizações com pouco mais de 15 dias no YouTube.
 
E é graças a este hit - que chegou a estar no top 20 global do Spotify e que a levou a entrar no top 10 de um ranking da Billboard - que alguns já se aventuram a compará-la com divas como Shakira, Rihanna e inclusive Beyoncé.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.