Humorístico

Entre a TV e o teatro

22:20 · 13.07.2013
"Vai que Cola", nova aposta do Multishow, reúne um elenco de peso. O Zoeira conferiu as gravações, no Rio de Janeiro, e conta mais sobre o humorístico

No ar de segunda a sexta-feira, às 22h30, no Multishow, "Vai que Cola" aposta em um novo formato. Filmado em um palco giratório, diante de um público de 250 pessoas, o humorístico mescla linguagens da TV e do teatro e apresenta situações e personagens que fazem parte do cotidiano do subúrbio carioca.

Nos bastidores, o clima é de descontração fotos: JULIANA COUTINHO

As histórias - cada dia uma diferente - giram em torno de Valdomiro Lacerda, papel de Paulo Gustavo. Quando surgiu a ideia do sitcom, o humorista, protagonista do "220 volts", programa de maior audiência do canal por assinatura, foi o primeiro a ser convidado para integrar o projeto.

Apesar de não ser responsável pela concepção do seriado, o ator conta que tem total liberdade para dar opinião no programa, dirigido por João Fonseca e César Rodrigues.

"Quando eu fui chamado, o Christian [Machado, gerente de produção artística do Multishow] me deixou bem à vontade. Pude escolher, por exemplo o cenário, se seria em uma pensão, em uma padaria, então participei dessa parte, do começo. E depois da escolha do elenco, pude escolher amigos", conta o ator, em entrevista ao Zoeira, durante uma gravação do programa, que acontece sempre no HSBC Arena, no Rio de Janeiro, três vezes por semana.

Na trama, que se passa no Meyer, [bairro localizado na Zona Norte do Rio], Valdomiro convive com tipos estranhos como a Dona Jô (Catarina Abdalla), o Sr. Wilson (Fernando Caruso), o zelador Ferdinando (Marcus Majella), a extravagante Teresinha (Cacau Protásio), o triângulo amoroso protagonizado por Jéssica (Samantha Schmutz), Máicol (Emiliano D´ávilla e Lacraia (Silvio Guindane) e a farsante Velna (Fiorella Matheis), uma brasileira que finge ser gringa.

"Eu sou amigo da maioria dos atores há muito tempo. Então a gente fica super em casa. Quando vamos fazer um trabalho grande, tipo um filme, uma novela, não temos certeza que vamos trabalhar só com gente de energia ótima. Mas, assim, eu sempre dei sorte com isso, principalmente aqui. Tá sendo o máximo", comenta Paulo.

Paulo Gustavo é o protagonista da série / O ator Marcus Majella interpreta Ferdinando

Química

Apesar de cedo - os atores se reúnem no HSBC Arena às 7h30 para começar a gravar-, o clima da gravação é de descontração e a química entre os atores é muito boa.

Antes de entrar em cena, Marcus Majella também falou sobre a experiência de participar do humorístico. Amigo de Paulo Gustavo há 11 anos, o ator participa de "220 volts" ao lado do comediante, no papel de Marquinhos e está no elenco do filme "Minha mãe é uma peça". Com tamanha afinidade, não podia faltar em "Vai que Cola".

"A gente recebe o roteiro um dia antes, mas tem total liberdade de alterar, contanto que seja dentro da história. Acho que o grande barato é isso. A plateia é outro ponto positivo do programa. É teatro, mas ao mesmo tempo é para a TV. Temos que nos preocupar com o público, com a marcação no palco, com a luz, porque se não tem que repetir tudo de novo. Às vezes, a plateia também dá uma risada de horas, aplaude, aí você tem que esperar tudo aquilo acontecer para continuar. É minha primeira experiência em um programa com plateia para a TV, mas estou adorando", comenta.

Em época de homenagens ao "Sai de Baixo", que ganhou quatro episódios inéditos no canal Viva, a comparação é inevitável. Majella afirma que a antiga série é, sim, uma referência.

"Quando eu estava fazendo a pesquisa para o seriado, comecei a ver "Sai de Baixo´ no YouTube e descobri que outros programas, ainda mais antigos, também investiam no formato com plateia. Acredito que esse estilo vai continuar dando certo por muito tempo", opina.

Questionado sobre o personagem que pode cair na boca da galera, ele diz que torce, claro, para Ferdinando. "Ele é o zelador da pensão, mas gosta de ser chamado de concierge, porque se acha fino. O personagem também é fã de todas as cantoras pop, mas seu maior ídolo é a Barbra Streisand. O Ferdinando tem alma de diva. Ele também fala uns bordões engraçados, tipo ´Santa Barbra´, ´Unbelievable´ e mistura português com inglês direto".

Auge da carreira

Aos 34 anos, Paulo Gustavo é um dos humoristas mais requisitados da nova geração. Além de "Vai que Cola", foi confirmado na quinta temporada de "220 volts", já superou a marca de 2 milhões de espectadores com o filme "Minha mãe é uma peça" e estreia, em abril de 2014, também no canal por assinatura, um reality, o "Paulo Gustavo na Estrada", que mostra a rotina do ator em turnê com a peça "Hiperativo".

No segundo semestre, o ator ainda encara o desafio de dirigir Samantha Schmutz em um novo programa, ainda sem nome definido, previsto para entrar na grade do Multishow somente em outubro e participa do filme "Os homens são de Marte... E é para lá que eu vou", do diretor Marcus Baldini.

Com tantos projetos, Paulo Gustavo confessa que é difícil sobrar tempo. "Para a minha vida não tem tempo, né?", brinca. Só em dezembro ele vai conseguir tirar férias. Em agosto, planejou tirar quatro dias de folga e viajar para Nova York, para assistir o show da cantora Beyoncé , de quem é fã.

"Não marquei nada para dezembro, aliás, a única coisa que eu vou fazer é tirar o siso, depois vou ficar em casa".

JACQUELINE NÓBREGA
REPÓRTER*
*A REPÓRTER VIAJOU A CONVITE DO CANAL MULTISHOW


Personagens

Conheça o elenco da série

Paulo Gustavo (Valdomiro)
Além de "Vai que Cola", é protagonista de "220 volts", está em cartaz com o filme "Minha mãe é uma peça", no teatro com "Hiperativo", gravando um filme e estreia um reality show em 2014.

Catarina Abdalla (Dona Jô)
A atriz ficou famosa para toda uma geração de crianças e jovens na década de 80 ao fazer a série "Armação Ilimitada", da Globo. Desde então, já trabalhou em filmes e novelas na TV.

Fiorella Matheis (Velna)
A loira começou como modelo, mas logo migrou para a TV como apresentadora e atriz. Ele usa seus conhecimentos em alemão para improvisar a língua falada por sua personagem na série.

Samantha Schmutz (Jéssica)
A atriz ficou conhecida do grande público ao interpretar o personagem Juninho Play, no "Zorra Total". Com contrato com o Multishow, estreia programa de esquetes em outubro.

Fernando Caruso (Wilson)
Comediante de longa data, o ator diverte o público com programas como "De cara limpa", "Prêmio Multishow de Humor" e "Estranha Mente", todos no ar no canal por assinatura.

Emiliano D´ávila (Máicol)
O baiano fez parte do espetáculo "Clandestinos", do diretor João Falcão. Devido ao sucesso de público, a peça acabou se tornando um seriado da Rede Globo, com o mesmo elenco do teatro

Marcus Majella (Ferdinando)
Amigo de Paulo Gustavo há 11 anos, o ator se formou com o ator na Casa das Artes de Laranjeiras. Além de "Vai que Cola" e "220 volts", também é ator do "Porta dos Fundos".

Silvio Guindane (Lacraia)
Aos 11 anos, o ator fez seu primeiro filme. Desde então, já teve sua atuação premiada em festivais de cinema. Já fez muita novelas na TV aberta e programas no Multishow, como "Open Bar" e "Os Buchas".

Cacau Protásio (Teresinha)
A atriz já fez pequenas participações em novelas da Globo, mas o público a reconhece como a empregada Zezé, de "Avenida Brasil". Atualmente, também participa da "Danças dos Famosos".

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.