Música

Energia e pés na areia

Mais uma vez em solo cearense, Claudia Leitte traz show menos performático, o "Prainha da Claudinha", para se apresentar em Canoa Quebrada no dia 7 de setembro

00:00 · 05.09.2018 / atualizado às 12:28 por Mylena Gadelha - Repórter
Image-0-Artigo-2448748-1
Claudia Leitte divide o show em dois momentos

Menos performances e um lado aparentemente mais descompromissado. Essa é a definição que Claudia Leitte faz do show "Prainha da Claudinha", que acontece em Canoa Quebrada, Aquiraz, nesta sexta-feira (7). A cantora, que já é figura conhecida do público cearense, traz todos os sucessos que já coleciona na carreira, dessa vez de uma forma um pouco diferente.

"Esse show, na verdade, a gente chama de uma viagem no túnel do tempo, em que a gente compilou e construiu toda uma historinha pra ser mostrada durante a apresentação", comentou animada ao Zoeira para falar sobre o que será visto no show.

Até então, a nova proposta de apresentação já passou por cidades como Rio de Janeiro, Cuiabá, Natal e Aracaju. De acordo com ela, a intenção é levá-lo para outras praias do País.

Especial

Mais uma vez em Fortaleza, Claudia não esconde a relação próxima que possui com as cidades do Nordeste. Por aqui, é presença carimbada em shows e carnavais fora de época.

Recentemente, no mês de julho, desembarcou no Fortal. Agora, no mês de novembro, volta ao Ceará para se apresentar no Carnabral, na cidade de Sobral.

Segundo a cantora, as cidades nordestinas foram essenciais para que consolidasse a carreira no País. "Ainda no começo eu comecei a sentir que minha trajetória ia se tornar real no Nordeste", conta ao relembrar quando passou por várias cidades do interior cearense.

Tanto em "Prainha da Claudinha" como na nova turnê, "My Carnaval", com a qual tem passado pelo País, a cantora resolveu mostrar as várias fases que já vivenciou no mundo da música.

Ideias

Foi no início do ano que deu início a sequência de shows em que o intuito é mostrar os três períodos mais marcantes: as apresentações em barzinhos, os trios elétricos e, por fim, os palcos. Agora, no "Prainha", ela também não deixa de lado esse objetivo.

"Apesar disso, são duas histórias diferentes, o Prainha é menos performático, tem menos coreografias. Já no My Carnaval a gente tem muitas trocas de roupa e são dois universos", comenta.

Para a montagem do show, Claudinha, como é chamada pelos fãs, explica que as ideias foram surgindo de uma forma natural e sempre estiveram no campo dos objetivos como cantora. Dessa forma tudo foi pensado para trazer o formato.

"Eu acredito que foi uma vontade da nossa equipe mesmo. Percebi que tudo foi surgindo de uma forma muito espontânea", diz.

Basicamente, a apresentação se divide em dois momentos: no primeiro, tomam espaço as músicas que não são tão tradicionais, as que não são mostradas sempre nos shows. Já no segundo momento, entram os sucessos mais recentes.

"Na minha cabeça nunca teve uma separação, tudo faz parte da minha história, mas fica mais fácil de explicar assim, de separar as canções em dois momentos".

Enquanto isso, Claudinha também comenta que a expectativa de se apresentar em solo cearense continua grande, mesmo que já tenha vindo tantas vezes até aqui.

No setlist, as músicas Carnaval, Baldin de Gelo, Bola de sabão e Amor Perfeito estão entre as que não podem faltar para os fãs.

"O meu sentimento por aqui é de gratidão e eu espero voltar cada vez mais", finaliza Claudia.

Mais informações:

Prainha da Claudinha
Sexta (7), na Barraca Chega Mais (Avenida da Integração, 860, Canoa Quebrada). Ingresso: de R$ 50 a R$ 180. (88 3421.7101)

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.