Entrevista

Deadpool: o coração em meio à comédia

00:00 · 17.05.2018
Morena Baccarin
A brasileira Morena Baccarin vive a personagem Vanessa no longa

Segurar o desbocado Deadpool, vivido pelo ator Ryan Reynolds, é uma missão que só uma pessoa consegue cumprir, a personagem Vanessa, papel da brasileira Morena Baccarin, que retorna no segundo filme solo sobre o anti-herói, conhecido nos quadrinhos, dentre outros nomes, como Mercenário Tagarela.

"Vanessa tenta segurar, mas é difícil até para ela", ri Morena, de 38 anos, em entrevista ao Estado, numa visita ao País para divulgar Deadpool 2, que chega aos cinemas nesta quinta-feira, 17. Filha do jornalista Fernando Baccarin e da atriz Vera Setta, ela foi morar nos EUA ainda criança. Lá, começou a ficar conhecida por papéis na televisão, com participações em séries como The O.C. E How I Met Your Mother, e como a protagonista da série V, ficção que ficou no ar entre 2009 e 2011. O primeiro filme do anti-herói, em 2016, serviu para estabeleceu de vez seu nome em Hollywood.

> Deadpool 2: herói com graça

Em Deadpool, Vanessa é o grande amor de Wade Wilson, a identidade por trás do Mercenário. Com ela, neste novo filme, o personagem sonha em ter uma família, por mais incrível que isso possa parecer. "Vanessa e Wade estão tentando levar a relação para a próxima etapa", revela Morena, que diz que a sua personagem é o "coração" da história, em meio a tanta ação e comédia. "Eles querem formar uma família. Mas, claro, no filme não dá tudo certo". A atriz demonstra grande empolgação em atuar com Ryan. "Ele é o Deadpool. Infelizmente", brinca. "É gostoso fazer o filme com ele, trabalhamos bem juntos e ele tem ideias ótimas".

Apesar de toda a diversão, ela afirma que o clima no set era de trabalho pesado, especialmente após o sucesso do primeiro filme, que se tornou a melhor bilheteria de todos os tempos para um filme com classificação indicativa para maiores de 18 anos nos EUA, algo que, segundo Morena, "nem o Ryan esperava". "Foi super divertido gravar o segundo filme, mas todos estavam trabalhando arduamente para fazer o melhor filme possível". Por ter piadas o tempo inteiro, várias cenas precisavam ser regravadas várias vezes, com diferentes piadas.

A brasileira confessa que nunca foi muito fã do mundo dos super-heróis, mas que está feliz de, agora, estar imersa nele. Além de Deadpool, Morena é na TV a personagem Leslie Thompkins em Gotham, que mostra a infância de Bruce Wayne/Batman. "Os dois trabalhos completam um ao outro muito bem para mim", analisa. "Gotham é mais sério, tem um estilo mais romântico. Deadpool é zona".

Nesse mundo, a atriz revela ter o desejo de viver uma vilã. "São várias, a Mulher-Gato, Hera Venenosa". Porém, neste momento, ela gostaria de mudar um pouco de área. "Fiz uma comédia romântica no ano passado. É divertido fazer alguma coisa fora desse universo DC e Marvel".

Apesar de nunca ter atuado no Brasil, ela revela ter o desejo. "Adoraria, estou procurando o papel, mas tenho que achar a coisa certa e no momento certo". Num caso raro entre atores brasileiros em Hollywood, Morena nunca viveu uma personagem que fosse latina. "É muito bom saber que Hollywood está aceitando melhor culturas e nacionalidades diferentes. Não só brasileiras, mas do mundo inteiro", observa Morena.

*Por Pedro Rocha, especial para a Agência Estado

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.