coluna

Puxa o Fole: Sanfona e poesia

00:00 · 07.10.2017 / atualizado às 09:41
Os músicos preservam o uso da sanfona nos shows. No DVD, um mix de forró eletrônico e sertanejo ( Foto: Fernanda Siebra )
Produção foi gravada na Praia do Futuro ( Foto: Fernanda Siebra )

Com um público seleto e com imagens captadas ao amanhecer. Foi assim a gravação do DVD "Poetas da Sanfona" dos cantores Ítalo e Renno. O sono foi desafio para alguns convidados, mas o sol de Fortaleza acompanhado das composições de sucesso, logo animaram o público.

O cenário, com fundo para a Praia do Futuro, foi composto por um lounge com almofadas, iluminação e painéis de LED. Com 20 músicas e mais de uma hora de duração, o novo produto audiovisual da dupla leva um mix de forró e sertanejo. O Puxa o Fole conversou com os músicos sobre o novo momento da carreira e o mercado das composições.

A mistura de bateria e sanfona tiveram as notas mais ressaltadas no novo DVD. Em momentos, o som deixava de ser forró e sertanejo e passava a ser plural. No palco, a simplicidade e o entrosamento de Italo e Renno, deixou o público mais animado. "Era obrigação trazer esse conteúdo para o nosso público. Quando a gente entra no palco e começa a cantar, as pessoas ficam se questionando se todas essas músicas são nossas. Essa é a oportunidade de as pessoas conhecerem de perto o nosso lado não só de cantor, mas como de compositor também", conta Renno.

Confira o que rolou nos bastidores do novo DVD de Ítalo e Renno. Cantores falam sobre o mercado da composição

Na produção audiovisual, o sucesso era provado com as canções na ponta da língua dos convidados. "O mercado nacional absorve bem os compositores e a música que é feita no Ceará, porque a temperatura do Ceará é diferente. A música daqui é quente e o Brasil consome essa temperatura. Claro que em outros lugares a galera compõe com mesmo calor, mas é natural da gente essa coisa do balanço", avalia Ítalo.

As letras dos músicos interpretadas no DVD como "Ar Condicionado no 15", "Ei saudade" e "Na conta da loucura", estão nos repertórios de cantores como Wesley Safadão, Marília Mendonça e da dupla Bruno e Marrone.

Gerações

Um dos grandes problemas do forró e sertanejo atual é a falta de composições que se eternizem. Dos anos 1980 e 1990, o forró conseguiu perpetuar o chamado "forró das antigas". O sertanejo, por sua vez, emplacou os modões de raiz. Questionado sobre o futuro das composições, o cantor Renno avalia que é difícil prever se as letras elaboradas por eles vão ser ouvidas por gerações futuras.

"De 20 anos para cá, a gente teve uma revolução completa no que diz respeito a discografia e a carreira de artistas. Existem cantores que começam em um dia e terminam em um mês. E ainda aqueles que começam hoje e daqui há um ano estouram. E tem também os que ficam cinco anos no mercado musical e depois ninguém ouve mais".

Para o vocalista, a preocupação maior na atualidade é escrever coisas que toquem o coração das pessoas seja ela durante um dia, seja ela durante uma eternidade.

Para poder "estourar" uma música na voz de um grande cantor de forró e sertanejo, a exigência é única. "Só querem se for sucesso. Hoje em dia o artista foca muito nisso. Principalmente, aquele que não compõe. Ele quer que a música que chega até ele seja aquela que vai projetar a carreira. É lógico que a gente também quer isso, que a nossa carreira seja projetada com músicas, mas o lado de compositor", pondera Renno. Sobre a fórmula para tornar uma letra um hit, a dupla ressalta que os compositores precisam deixar o coração fluir. "Tem música que não pega, mas vira sucesso. Tem casal que toda vida que ouve uma música nossa, lembra de um momento da vida", explica Ítalo.

Vocação

Aos futuros compositores e cantores, inclusive ao filho, Renno pontua que a música pode edificar vidas. "Meu filho já nasceu nesse ambiente de música e tem dois anos e meio. Respira música 24h. Eu jamais poderia dizer outra coisa senão siga o rumo da música, pois ela que construiu tudo que eu tenho hoje. Todos meus amigos, meu irmão Ítalo e os meus irmãos de composição".

Já Ítalo frisa a importância da profissionalização e dedicação como características primordiais para ser um bom músico. "Eu diria que a dedicação é uma palavra que cada vez mais os novos compositores precisam ouvir. Antigamente, a música era tratada um pouco mais com relax, aquela coisa do compositor largadão, que fica no sofá. A música vem, se vier beleza, se não vier no outro dia vem. Hoje em dia é necessário, até pela concorrência, você ter dedicação, praticar e ter todo dia aquilo como trabalho".

Para os fãs da dupla, a produção deve ser disponibilizada em plataformas digitais até o fim do ano.

Música para gerações

Image-0-Artigo-2306559-1

Uma notícia bombou nessa semana no Blog Puxa o Fole: o show Fenômenos, adiantado por esta dupla. Batista Lima, Eliane, Kátia Cilene e Walkyria Santos comandam o espetáculo com letras de forró que não têm data de validade. A apresentação dos forrozeiros acontece no dia 14 de novembro, no Espaço Jangada do shopping Iguatemi. (Foto: JL Rosa)

"Garoteiros" vestem branco

Image-1-Artigo-2306559-1

Quarta-feira, véspera de feriado, Fortaleza recebe mais uma edição do evento Garota White, do cearense Wesley Safadão. A quinta edição da festa na Capital acontece no Marina Park Hotel, mesmo palco da festa de Réveillon 2018 do artista.Nego do Borel é atração.

Saúde é aliada do bom show

Avine Vinny otimiza a performance nos palcos com acompanhamento específico de saúde. Sob os cuidados do médico Fernando Guanabara, Avine passou a ingerir suplementos de vitaminas e antioxidantes que tratam a fadiga e melhoram a imunidade do artista.

Rápidas do sertanejo

A dupla Cleber e Cauan fechou contrato com o escritório ÁudioMix. O sertanejo é líder de consumo no Deezer Brasil, com 51% de execuções. Na sequência, o funk (16%) e o rock (7%). Felipe Araújo lançou o clipe de "Amor Da Sua Cama", com Carol Nakamura.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.