coluna

Puxa o Fole: Chegou ao Ceará

00:00 · 28.04.2018 / atualizado às 01:30
Artista assinou contrato com produtora cearense e agora será agenciado no Norte e Nordeste brasileiro pela Social Music
Gustavo Mioto fez duas apresentações em Fortaleza

Paulista de 21 anos, Gustavo Mioto tem trabalho de abrangência nacional, mas só agora ingressa no mercado nordestino

Gustavo Mioto, 21, é mais um da lista de personalidades que construiram fama no País ainda com pouca idade. Natural de Votuporanga, município no Noroeste do estado de São Paulo, o cantor sertanejo ganhou abrangência nacional com a canção "Impressionando os Anjos", lançada em 2016, mas só agora conseguiu penetrar o mercado nordestino. Humilde e com forte sotaque, Gustavo concedeu entrevista ao Puxa o Fole e mostrou entender bem dos assuntos da banda além dos vocais.

"Vim de uma família de músicos. Na minha cidade, existe o costume de ser sertanejo desde o nascimento. Meus familiares cantavam o ritmo, nos uníamos nos almoços de avó para fazer um som. Cresci nesse meio, não tive para onde fugir", conta o jovem, que escreveu a primeira letra aos 10 anos. Ao contrário de diversos artistas do gênero, Gustavo é autor dos próprios sucessos, como "Coladinha em Mim" e "Impressionando os Anjos".


Esta última é um dos grandes hits do cantor, e tem uma pegada totalmente diferente do que estamos acostumados a ouvir no sertanejo. A música possui a pesada temática da morte. O som é bom, a letra emociona, mas dificilmente você não terá um baque após escutá-la. "A 'Impressionando os Anjos' é uma musica mágica. Aborda um tema muito pesado de forma simples. É uma verdade muito palpável, pode acontecer com todo mundo".

Além da magia da própria composição, Gustavo credita o sucesso da música ao lançamento no momento em que a maioria buscava o simples com foco no Carnaval. "Lançamos a canção no fim do ano, quando todo mundo estava tentando achar o monossílabo certo para o Carnaval. E isso vendeu muito bem. A gente tocou no Carnaval inclusive, fomos na contramão da galera", pontua.

Image-2-Artigo-2392799-1

O paulista afirma que sofreu retaliações por ter voz que destoa do "padrão" sertanejo, mas acredita que, após superar este momento, esse é o diferencial próprio para se destacar no cenário. "O diferente sempre tem rejeição. No começo da carreira - que já tem seis anos - assisti vários vídeos de pessoas que me elegeram como pior cantor do sertanejo. Mas com o trabalho a gente foi conquistando espaço e hoje falam bem exatamente pelo diferente".

Ingresso no Nordeste

No último sábado (21), o cantor fez a primeira apresentação no Nordeste. Participou do Garota Vip, no Castelão, e, no dia seguinte, foi a principal atração em show no Colosso. "Viemos testar nossas musicas aqui. Fiquei apreensivo. Uma coisa é tocar em local que já sou conhecido, outra é se apresentar onde não conheço. O que me deu confiança foi ver o público cantando o disco inteiro. Me deu energia para a agenda de São João, que também será a primeira", conta. O artista cantará neste ano em tradicionais festas como Expocrato (Juazeiro do Norte-CE), Carvalheira na Fogueira (Gravatá-PE), além dos agitos em Caruaru-PE.

"Estou me especializando no Nordeste", garante Gustavo, que promete trazer show específico para a região. Ele entende o fluxo do mercado e que o espetáculo precisa variar de acordo com a localidade, o público e até mesmo a line-up evento, tanto que as duas exibições em Fortaleza foram bem distintas.

"No nosso show, a gente tem bastante coisa do Wesley Safadão e do Léo Santana (atrações do Garota Vip). No Castelão, a gente preferiu mostrar o que o Gustavo Mioto tem de diferente. Levamos o country, mostramos um pouco dos rodeios de Minas Gerais e do Paraná. Buscamos algo que os outros artistas não fariam lá. Ao mesmo tempo que tivemos Edson & Hudson, tocamos também Avichi. No Colosso, eu sei que o público não conhece o rodeio, eles são da vaquejada, então trouxe um show diferente, mais para cima. Elogiaram mais o show do Colosso - que não tem a total essência de Gustavo - mas a gente entende", pondera.

Para ingressar no Nordeste, o sertanejo revela que estudou letras que fazem sucesso na região. É um trabalho a mais na hora de compor o repertório. Entre os nomes analisados estão Mano Walter, Jonas Esticado e Cavaleiros de Forró.

Produtora

Durante a entrevista, Gustavo confessou ter "pé atrás" em assinar contratos com escritórios, mas fechou a primeira parceira do tipo recentemente com uma empresa cearense, a Social Music, que representará o artista no Norte e Nordeste do País.

"Nunca tinha assinado com ninguém. Sempre tive pé atrás com essas coisas, mas a Social acreditou na gente desde o início e é uma empresa que tem respeito no mercado. Digo que acertamos duas vezes: no disco e na empresa", comenta.

Apesar da parceria regionalizada, o cantor prefere não ingressar, no momento, em uma empresa nacional. "O grande trunfo de não ser fixo de um escritório é que você não fica preso a um. Assim posso fazer todos os festivais. Tenho Villa Mix (AudioMix) fechado e também agenda no Festeja (WorkShow). Optei pela boa vizinhança. É muito massa transitar em todos os bairros", pontua.

Futuro

Gustavo pretende ainda trabalhar o "Ao Vivo em São Paulo", segundo DVD da carreira, gravado em outubro de 2017 com participações de Anitta, Gusttavo Lima, Jorge e Mateus e Maiara e Maraisa. "O DVD é muito recente, tem muita lenha para queimar ainda. Talvez, para o segundo semestre, saia um EP com alguns clipes", adianta. O primeiro DVD, intitulado "Ciclos", foi filmado em 2014, na cidade natal do artista.

Sol na serra

Solange Almeida

Solange Almeida gravou, nesta quinta-feira (26), um especial na Serra de Guaramiranga (CE). Com público seleto, a produção “Na Serra - Minha História” tem pegada de documentário e ainda percorre a trajetória da Sol na música. Recentemente, a cantora filmou ainda clipe com a banda de reggae Donaleda, talento de destaque da cena autoral do Ceará.

Cantor na passarela

Wesley Safadão

Wesley Safadão virou modelo por um dia e desfilou no Maraponga Mart Moda, em ação de uma marca de roupas. “Toda experiência nova dá frio na barriga, mas os palcos me ajudam a ser destemido. Hoje foi o dia que eu mais caminhei na minha vida”, disse ao Puxa o Fole.

Caldeirão musical

O cantor Matheus Fernandes é atração da festa “Saideira”, do grupo Atitude 67, que traz o projeto pela primeira vez para Fortaleza, nesta segunda-feira (30), véspera de feriado. O evento, que acontece no Terminal Marítimo, promete ser uma verdadeira mistura de ritmos musicais.

Senado debate forró no Rio

A Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo promoveu, quinta, audiência pública para debater a proposta de incluir o forró como Patrimônio Imaterial da Cultura Brasileira. Além de proteger as matrizes tradicionais, a intenção é que o Iphan tenha recursos suficientes para fazer estudos.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.