COLUNA

Lígia Nottingham: Savoir faire

Lígia Nottingham

ligia@ligian.com.br

00:00 · 01.02.2018
Veja as imagens mais espetaculares da Alta-Costura Primavera/Verão 2018 ( Fotos: AFPForum )

Delírios e tendências: embora tenha um número microscópico de clientes, a Alta-Costura é inspiração para toda a cadeia. Funciona como palco para sonhos e delírios de todos os amantes da moda e ilumina a chegada de novas tendências. Cortes, silhuetas, cores, maquiagens e acessórios que serão reproduzidos em formatos mais acessíveis no "Prêt-à-Porter", para os "mortais" Desfile: Viktor&Rolf

Chegamos a última e mais importante semana de moda da estação: a da Alta-Costura Primavera/Verão 2018. Os desfiles, super produzidos e disputados pela high society fashionista, são também uma incógnita para quem não está integrado a esse universo.

Sob um olhar desavisado, pode ser difícil compreender a essência destes desfiles: vestidos extremamente trabalhados, volumes exagerados, por vezes tão cheios de detalhes - nada pequenos, diga-se de passagem- que seria impossível sentar-se ou entrar num carro vestindo um deles.

Só tem uma questão: não é para isso que os looks da Alta-Costura servem? "Assim como as marcas de carro mostram sua expertise por meio da criação de supermáquinas, os estilistas usam a Alta Costura como um posicionamento, uma forma de mostrar suas maiores habilidades técnicas e criativas", comenta a jornalista Camila Yahn, no site FFW.

A Haute Couture, termo original em Francês, na verdade é uma exibição do 'savoir faire' (que significa know-how, "saber fazer" ou expertise) das tradicionais e mais importantes casas de costura que fazem parte do Chambre Syndicale de la Haute Couture, a instituição francesa que define as marcas que são ou não Alta-Costura.

Para fazer parte desse seleto time é preciso atender a uma série de exigências, os looks devem exibir um trabalho artesanal, original, de qualidade inquestionável e o mais importante, mostrar toda a capacidade criativa e de produção daquela maison. Não é à toa que algumas peças assumem status de arte e acabam exibidas em museus.

Pré-requisitos para ser parte da Alta-Costura

1. Ser associado da Chambre Syndicale de la Couture Parisienne;

2. Ter uma Maison em Paris, especificamente entre as três importantes avenidas: Montaigne, Georges V ou Champs Elysées;

3. Ter processo produtivo absolutamente manual;

4. Empregar, no mínimo, 15 funcionários especializados;

5. A Maison deve ter cinco andares, inclusive um espaço para desfiles das obrigatórias duas coleções por ano;

6. Apresentar 35 modelos originais para o dia e para a noite, para cada coleção;

7. As clientes podem encomendar peças sob medida.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.