Coluna

Lígia Nottingham: Dossiê Paris em 5 trends

Lígia Nottingham

ligia@ligian.com.br

00:00 · 15.03.2018

Conheça as tendências do inverno 2019 que desfilaram na semana de moda de Paris que você já pode inserir agora no seu guarda-roupa

A última semana de moda do catálogo do prêt-à-porter - que começa com Nova York, passa por Londres, Milão e então, Paris - é também a mais esperada. A capital francesa carrega a tradição da moda desde o seu surgimento na Idade Média, além de ser o berço e casa da Alta Costura.

Nomes estratégicos para observar tendências como Yves Saint Laurent, Valentino, Dior, Balmain e Givenchy (entre muitos outros), são franceses e desfilam por lá. Além disso, marcas importantes de outras nacionalidades, acabam, por escolha, desfilando por ali também, como é o caso de Stella McCartney e Alexander McQueen.

Hoje, a coluna traz um dossiê com cinco tendências que foram destaque na Semana de moda mais esperada da estação e que, muito provavelmente, você vai querer usar já.

Confira galeria de fotos no fim desta página 

Curtinho comportado

A tendência que mais se repetiu e aparece na maioria dos desfiles, foi a do vestido curto com mangas longas. A saia é curtíssima, no estilo Mary Quant, quando a estilista criou a saia de 30cm, nos anos 1960. Mas, para compensar as pernocas de fora, as mangas são longas, hora coladas, hora bufantes. Aquela trend que a gente pode usar sem medo no verão. Vamos nessa?.

Doce retorno

As candy colors (ou cores doces) estão de volta. O rosa chiclete é o tom fofo da temporada, aparece principalmente em looks ultra femininos, com babados e tecidos armados. Para quem ama essa cor, pode ser usada no look completo. Para quem não quer apostar muito, pode investir no tom nos acessórios.

Brilho neon

É para deixar a turma da moda ligada! O neon faz o seu retorno, ainda tímido. Entra, de fininho, nos detalhes das roupas ou em uma única peça do look. Essa é a tendência perfeita para apostar em acessórios. Vale ousar no sapato (lembram dos scarpins amarelos que bombaram há cerca de cinco anos?), na bolsa ou nas bijus. Eu adorei a proposta da Balenciaga em coordenar o top neon com a saia em marinho. É hora de criar as nossas propostas. Quem aí ainda guarda uma peça neon no closet?

Na luta

O Militarismo é alvo das tendências de inverno, principalmente quando falamos de casacos e cores.

O verde é a cor mestra, mas outros tons terrosos, como o caramelo, o telha e o laranja, também foram destaques de variados desfiles. Em termos de modelagem, o utilitarismo é a palavra de ordem. Casacos com botões metálicos aparentes, bolsos quadrados expostos e vestidos prontinhos para ir à luta.

Piratas do Caribe

Um mergulho no universo navy de uma forma bem delicada, foi a aposta de alguns nomes fortes da moda Parisiense. Na Louis Vuitton, o designer Nicolas Ghesquiere traz os uniformes navais misturados com franjas, na Balmain, vestidos colados ganham ilhoses e fios entrelaçados, enquanto YSL aposta numa estética pirata em preto total. O certo é que fios soltos, correntes e ilhoses são detalhes para ficar de olho

Despedida

Adeus, Givenchy

Image-0-Artigo-2374488-1
Audrey usa vestido da primeira coleção criada por Givenchy, no filme Sabrina (1954)

Morreu, no último sábado, dia 10 de março, o renomado estilista francês, Hubert de Givenchy. Nascido em 1927, o designer ficou famoso ao firmar amizade e parceria com a atriz Audrey Hepburn (a famosa Bonequinha de Luxo), ícone de estilo dos anos 1960. Givenchy era responsável por criar os seus figurinos em filmes Hollywoodianos que fizeram sucesso mundial como Sabrina e Bonequinha de Luxo. Na juventude, trabalhou com Balmain, Dior e Schiaparelli, até lançar sua própria grife em 1952. Em 1995 parou de assinar os modelos criados por sua marca ao vendê-la para o grupo LVMH. Hoje, a "designer cabeça" da marca é Clare Keller. Dizem que Givenchy nunca ficou satisfeito com os criadores que o substituíram, por não conseguirem manter a essência da grife.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.