coluna

Entre Nerds & Otakus: um olhar criativo

Entre Nerds & Otakus

FLÁVIA GURGEL - flaviapgurgel@gmail.com

00:00 · 14.07.2018
Juliano Enrico, criador de 'Irmão do Jorel', durante painel na Comic Con Experience

Nova temporada de "Irmão do Jorel" estreia na segunda (16) prometendo uma nostálgica viagem ao passado, tanto do garoto, quanto dos espectadores. Conversamos com Juliano Enrico sobre o processo de criação da série e o que esperar da nova fase

'Irmão do Jorel' é uma das séries atuais mais carismáticas do Cartoon Network, é a primeira animação original do canal feita no Brasil e na América Latina. Resultado de uma seleção promovida em 2009, o seriado estreia sua terceira temporada na segunda (16), a partir das 19h15.

Para marcar a data e preparar os fãs para o retorno haverá no mesmo dia maratonas acontecendo na TV, a partir das 8h, e no canal do YouTube, a partir das 14h.

Às 18h, ainda no canal do YouTube, o criador da série, Juliano Enrico, quadrinista, ator, ex-VJ da MTV e roteirista do programa 'Choque de Cultura', vai participar de uma live direto do Copa Studio, onde a série é produzida.

A Entre Nerds & Otakus conseguiu adiantar uma conversa com o artista para saber mais sobre o processo criativo por trás da série e sobre o que a nova temporada promete de novidades para os fãs dessa fofura que é o irmão do Jorel.

De onde surgiu a ideia para a criação da série?

São histórias fictícias inspiradas em memórias reais e vice-versa. Não sei determinar exatamente o que é real e o que não é na série. Irmão do Jorel acaba sendo também o resultado de um encontro de experiências pessoais de vários membros da equipe misturadas com algo que eu lembrei e transformei em sinopse junto com Daniel Furlan, que faz a redação final comigo. Muitas ideias surgem durante a produção da série no Copa Studio também quando alguém lembra de alguma coisa que pode virar episódio ou incorpora na cena alguma piada que não estava no roteiro ou no board. A reunião com os animadores antes do começo da produção é o melhor momento pra saber se o episódio está funcionando ou não. Ali são incorporadas muitas ideias da equipe. A minha infância é só um ponto de partida pra contar histórias divertidas sobre uma infância que poderia ter sido de qualquer um. Criei a série inspirado nas características mais excêntricas da minha família e naturalmente outros elementos são incorporados. Memórias da infância de outros roteiristas, storyboarders, os atores e os animadores fazem parte do processo. Isso faz com que a série tenha uma vida própria e o público crie um vínculo afetivo com os personagens.

Um dos grandes trunfos da série são as vozes originais, elas dão um tom bem divertido aos episódios, além da animação em si que tem produção executiva do Copa Studio. Como funciona essa parceria entre vocês até o resultado final que vemos na TV?

Sim, vozes são bem importantes. Gravamos todos os atores juntos com a direção da Melissa Garcia, que faz a Lara e a Vovó Juju e muitos outros, num lugar mágico chamado Ultrassom Music Ideas. Nesse mesmo estúdio trabalhamos nas trilhas originais e na mixagem. O legal de trabalhar com o elenco todo junto é ter uma noção mais precisa do ritmo dos diálogos e possibilitar mais interação durante as cenas. Tudo fica mais vivo e engraçado e falas improvisadas são mais frequentes quando existe o desejo de fazer o outro ator rir, tentando não deixar a risada vazar no microfone.

Podemos esperar mais referências à cultura pop nos episódios da terceira temporada? O que mais podemos esperar de 'Irmão do Jorel'?

A série incorpora o tempo todo elementos diretamente ligados ao nosso passado não muito distante. Isso ajuda na ambientação e ao mesmo tempo ajuda o público a sentir que faz parte daquele universo, que tem coisas em comum com os personagens. Essas referências são divertidas, mas a série conta cada vez mais com referências da própria série. O público vai se divertir também brincando de detetive assistindo Irmão do Jorel e encontrando detalhes nas cenas ou, ainda, nas falas que fazem referência a episódios anteriores ou posteriores. Todo episódio tem um coco mágico escondido, por exemplo. Em diferentes intensidades, todos os episódios estão conectados e juntos formam um grande arco-dramático. Tudo o que acontece em cada episódio da série tem consequências nos episódios seguintes. Assistir tudo fora de ordem também acaba sendo uma experiência interessante.

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.