COLUNA

Entre Nerds & Otakus: É só um joguinho?

Entre Nerds & Otakus

FLÁVIA GURGEL - flaviapgurgel@gmail.com

00:00 · 15.09.2018
Final CBLoL 2018 - Segunda etapa: cosplayers, Emicida e vitória da KaBuM! contra o Flamengo. A equipe disputará o mundial na Coreia do Sul ( Fotos: Divulgação/ Riot Games )

A final do torneio que escolhe o representante brasileiro do mundial de League of Legends ocorreu no último fim de semana em Porto Alegre (RS).

As últimas partidas da Segunda Etapa do Campeonato Brasileiro ocorreram na tarde de sábado no auditório Araújo Vianna.

O evento lotou o local e reuniu cerca de 3 mil pessoas que esgotaram os ingressos em 2 horas de vendas. Isso já diz muito sobre o que o jogo representa para o cenário de esportes eletrônicos no Brasil.

Antes do jogo em si, havia já muita animação na plateia. A torcida estava ansiosa pelas partidas, mas, principalmente, pelo espetáculo que é a abertura do evento.

Iniciando com uma apresentação bem padrão relacionada ao jogo, com uma música mais épica com toques irlandeses, ninguém esperava o que estava por vir.

Quando um rap com acompanhamento de metais começou a soar nos alto-falantes, o gráfico dos telões se tornou colorido e os desenhos e palavras começaram a fluir como grafites animados, Emicida pisou no palco e a galera foi à loucura.

Muitos podem se perguntar: "E daí? Qual a diferença dessa para outras aberturas do evento?". A diferença, caros amigos, é que a Riot Games, o LoL, jogo que costuma trabalhar com músicas consideradas mais elitistas como o metal e, no máximo, eletrônico, se rendeu à força do rap e, tomara, a tudo que ele representa.

É todo o povo negro e sua cultura sendo homenageados e trazidos aos palcos em um evento em que esmagadora maioria é de homens brancos. E, digo, isso foi lindo demais de se ver!

A homenagem foi recíproca, pois a letra do rapper Emicida faz uma alusão a todos os tipos de jogadores de LoL e fomenta o questionamento: 'É só um joguinho?', referindo-se a constante afirmação que a sociedade em geral faz ao se referir a games.

O outro espetáculo

Quando a primeira partida da Melhor de Cinco da final terminou com uma vitória fácil do Flamengo, sem resposta da KaBuM!, muitos acharam que o campeonato já estava decidido.

O time que veio do Circuito Desafiante estava com a corda toda, pela primeira vez competindo no CBLoL. Porém, eles não esperavam o bom desempenho da KaBuM! nos jogos seguintes.

Assim, logo na segunda partida, a equipe laranja conseguiu se reerguer e deu o troco nos novatos. O terceiro jogo foi o mais longo e mais equilibrado de todos, mas, no fim, o time da KaBuM! cometeu menos erros e levou a vitória.

O Flamengo ainda tentou se reerguer vencendo a quarta partida, mas a última disputa ficou com a equipe laranja que venceu pela terceira vez o CBLoL, vai pela segunda vez ao Mundial e se iguala a maior campeã do jogo, INTZ.

A equipe vencedora do CBLoL inicia sua saga no mundial a partir do dia 1 de outubro. O torneio segue até 3 de novembro com 24 equipes do mundo todo.

*A colunista viajou a Porto Alegre à convite da Riot Games

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.