Festa

Chão, chão, chão...

DJ Patricktor4 toca no Órbita Bar neste sábado no "Baile Tropical", em que a ordem é rebolar os quadris e celebrar a fusão de ritmos

DJ Patrick Torquato volta a Fortaleza para edição do seu "Baile Tropical" no Órbita Bar
00:00 · 17.02.2017 por Sérgio Ripardo - Repórter

O DJ Patrick Torquato, baiano radicado em Recife há seis anos, após ter morado um tempo em Belém do Pará, é um entusiasta da música pop produzida nas periferias das regiões Norte e Nordeste, como o tecnobrega. Neste sábado (18), ele mostra as pérolas da sua garimpagem musical, em apresentação na Órbita, na Praia de Iracema.

"Baile Tropical" é o nome de sua festa que já percorreu mais de 40 cidades. Foram mais de 110 edições da balada, que levou o DJ também para o exterior, em apresentações na Argentina, Uruguai e países europeus, como Espanha e França.

O Baile é descrito pelo DJ como uma festa lançadora de novos talentos, como os destaques da cena paraense como a cantora Gaby Amarantos e Felipe Cordeiro.

"O Baile Tropical procura dar protagonismo à cena brasileira do Norte e Nordeste", diz Patrick, que adota como nome artístico "Patricktor4".

O set da festa dele é repleto de ritmos rebolativos, explorando diversas vertentes e fusões de ritmos musicais de origem latino-americana e caribenha, além dos gêneros africanos e europeus.

Ele cita, por exemplo, a "rasteirinha", um estilo musical que mistura funk, kuduro, axé, eletrônico, cumbia e outros gêneros, e o "moombahton", uma mistura de reggaeton com house.

Para quem não consegue relacionar esses nomes estranhos ao efeito no corpo, basta dizer que seus quadris nunca mais serão os mesmos depois que você dançar esses ritmos.

Outra expressão que define o clima do "Baile Tropical" é o "twerk", que pode ser entendido também como um estilo de dança em que os movimentos se concentram nos quadris e em agachamentos.

Liberdade

Com 20 anos de experiência como DJ, Patricktor4 diz que trabalha na desconstrução de ideias óbvias na cena musical, incentivando um ambiente de máxima liberdade.

"O dresscode pode tudo: camisas floridas, roupa de surfista, muita purpurina. Importante é se libertar, dar pinta. Vem suar com a gente, vem se soltar com as novas tendências que estão rolando no Brasil e no mundo", brinca.

O funk, claro, não pode ficar de fora do set, com músicas de Omulu, MC Carol, Leo Justin, entre outros. A ordem é descer os quadris até o chão.

Mais informações:

Baile Tropical

Sábado (dia 18), às 21h, no Órbita Bar (Rua Dragão do Mar, 207, Praia de Iracema). Ingresso: R$ 20. (3453.1421)

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.