ENTREVISTA

Cearense na novela das 18h

01:47 · 05.09.2010
( )

Natural de Tabuleiro do Norte (CE), ator ganha credibilidade entre a classe artística nacional. Com outros trabalhos em novelas da Globo no currículo, Wal Schneider brilha em “Escrito nas Estrelas”

Novela, como dizem alguns autores, é algo imprevisível. Os rumos dos personagens são pensados, mas a receptividade do público é primordial. Dependendo da trama e de seu desenrolar, protagonistas são lembrados (ou esquecidos) por décadas. Em determinadas situações, são os papéis secundários que ganham destaque e passam a ser estrelas.

É por isso que a grande surpresa fica mesmo por conta do público, que reconhece o talento de atores que não estão entre os personagens principais, mas funcionam como peças-chave para o desenrolar da trama.
José Valdemir da Silva Gomes - ou simplesmente Wal Schneider - vem trilhando esse caminho na TV. Após participar de “A lua me disse” (2005), “América” (2005), “Beleza pura” (2008) e “Paraíso” (2009), Wal agora dá vida ao personagem Chico, do elenco de apoio do folhetim das 18h. “O que tem acontecido é que venho emendando uma novela na outra. Já são cinco novelas”, diz.

Convidado pela produtora Maristela Velloso e pela autora da trama, Elisabeth Jhin, Wal Schneider vem recebendo elogios da crítica especializada. “Nos bastidores, as cenas são comentadas e nas ruas do Rio também”, explica o ator que divide bons momentos ao lado da atriz Rosane Gofman, que interpreta a animada e jovial costureira Mundinha. Solteirona e com o sonho de casar, Mundinha desperta o interesse de Chico, personagem de Wal, que trabalha no bar do Mateus (Gilberto Torres) ao lado de Dentinho (Jose Bittencourt). Os rumos da trama? “Ainda é surpresa. A sinopse do personagem é que ele irá lutar até o final da novela para conquistá-la. Porém, só a autora decide isso. Eu queria ele beijando muito”, brinca.

Atrás das câmeras

De temática espírita, Wal Schneider diz se identificar com a trama. “Sou simpatizante do espiritismo. Confio numa energia que liga os seres através de um contato maior no planeta. Minha religião é energia. Ou diria Deus”, revela.
E como, para alguns, atos falam mais que palavras, Wal deixa um exemplo. No Rio de Janeiro, o cearense toca um projeto social “Teatro no Palco da Vida”, voltado para meninos e meninas das comunidades do Complexo do Alemão, Olaria, Ramos, Campo Grande e outras localidades.

“A ideia do projeto é para qualquer parte do Brasil. Claro que gostaria de ir para o Ceará”, observa. Pelo visto, só falta o convite.

A mil por hora

Wal Schneider não para. Além das gravações da novela e seu trabalho com jovens carentes, o ator ensaia um monólogo - “O homem das estrelas” - previsto para estrear em 2011. “Quando não estou no ar, estudo muito, dou workshop de teatro pelo Brasil e me organizo dentro do tempo possível. Porque quando estamos fazendo novela, a vida vira de cabeça para baixo”, resume Wal.

Gledson Araújo
Repórter

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.