Humor

Bom retorno

Há quatro anos longe dos palcos, Paulo Diógenes volta a fazer espetáculo e traz releitura de seus personagens e dos 32 anos de carreira que acumula

00:00 · 12.07.2018 por Mylena Gadelha - Repórter

Com 32 anos de carreira no humor, não foi fácil para Paulo Diógenes deixar personagens como a Raimundinha de lado e sair dos palcos. Foram quatro anos sem se caracterizar e os motivos foram diversos. Alguns relacionados a trabalho, por conta da política, outros por saúde, quando se viu passando por problemas de depressão.

Entretanto, recentemente, ele resolveu voltar às apresentações e dessa vez para contar um pouco da sua trajetória como humorista para o público. O espetáculo "Nós somos uma comédia", no Café Teatro de Iracema, em cartaz aos domingos, foi uma das barreiras vencidas pelo artista nos últimos tempos.

Força de vontade

"Sentia a insegurança de voltar pro palco, de voltar para o personagem e então comecei a ter uma briga interna comigo mesmo", conta ele sobre o tempo em que recorreu à terapia para superar a depressão. Segundo Paulo, a vontade de retornar ao humor veio também com o intuito de demonstrar a evolução que passou durante esse tempo. "É totalmente diferente do que as pessoas já viram de mim até hoje e esse é o grande lance disso tudo", afirma.

Mudanças

Longe do humor, Paulo sabe que as mudanças pelas quais o gênero passou nesse período foram grandes. Exatamente por isso, buscou se adaptar ao que já vem sendo produzido tanto no cenário local como em todo o País.

No novo espetáculo traz ao palco o humor, o teatro, o musical e até mesmo o stand up. "É simples, é só ver minha vida e mostrar um pouco de cada coisa. Dentro do espetáculo tem uma parte que é mais teatral, tem uma parte que eu estou de cara limpa", explica.

Um dos grandes nomes cearenses quando o assunto é humor, ele acredita que foi necessário pensar em um resgate do público de Fortaleza. Não é incomum encontrar pessoas de outros estados e até mesmo países procurando por apresentações humorísticas na Capital. Mesmo assim, segundo ele, é necessário abranger outros públicos. "O humor se tornou muito turístico e aí você acaba se acomodando, sabe? Então, você não evolui e acaba fazendo aquela coisa que você já sabe que funciona", comenta.

Novidade

Ainda sobre a questão dos novos cenários do humor no Brasil, Paulo Diógenes garante que mesmo com esse período distante das cenas passou por um processo de amadurecimento na carreira. "O que a gente tem que fazer é acompanhar esse ciclo e não estagnar, então o que eu tô tentando nesse espetáculo é acompanhar o que está acontecendo nesse momento".

Somado isso à vontade de incorporar antigos personagens, ele acredita que o novo espetáculo traz, além de diversão, uma outra face dele. Para Paulo, também é uma oportunidade de conhecer a pessoa que ele é, além do artista com o qual muitos já estão acostumados. "Hoje me sinto confortável em relação a Raimundinha, mas teve um momento em que ela se tornou mais forte que eu", diz. Como ele mesmo afirma, é um show para mostrar várias fases de uma vida.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.