coluna

Ana Miranda: O conhecimento e a ignorância

Image-0-Artigo-2377824-1

Ana Miranda: O conhecimento e a ignorância

00:00 · 24.03.2018

Eu sei mas não sei muito bem, nem sei direito mas sei, sei não e estou sabendo, sei de tudo e pouco sei, eu só sei o que eu senti...

"O que eu sinto eu não ajo. O que ajo não penso. O que penso não sinto. Do que sei sou ignorante. Do que sinto não ignoro. Não me entendo e ajo como se entendesse" (Clarice Lispector).

Saber é uma preocupação de toda gente, pelo menos a gente que sabe que nada sabe, e que quanto mais souber, menos vai saber. Fabulosa descoberta.

O conhecimento é como a Fonte de Pieria (diz-se Piería), que tem as águas rasas e as profundas. Eu posso escolher, bebo das águas rasas, ou bebo das águas fundas. Beber das águas fundas dá a sensação de nada saber. Beber das águas rasas cria a sensação de conhecimento, mas é o pequeno conhecimento.

"O pequeno conhecimento é uma coisa perigosa; Beba das águas profundas, ou não prove da fonte pieriana; Estes goles rasos intoxicam o cérebro, E beber largamente nos torna sóbrios outra vez" (Alexander Pope).

Há tantas descobertas incríveis a fazer! Tantas revelações, tantas novidades, tantos mundos e mundos, dá vontade de provar de tudo, saber de tudo, olhar tudo. Qual o tamanho de nossa memória? Meu avô dizia, Saber não ocupa espaço.

Quando um sábio aponta o céu, o ignorante olha o dedo, provérbio japonês. Para o ignorante, a Lua é maior do que as estrelas, dizia o padre Vieira. O que é saber? Só os ignorantes sabem responder.

Hoje está assim, o mundo feito de pedaços, pequenos conhecimentos, mundo estilhaçado, e são tantas as sabedorias que não as alcançamos mais. Vemos mais os dedos do que as estrelas no céu.

E com esse pouco conhecimento, passamos a julgar o mundo, a ouvir o canto do galo, a criar suposições ilusórias, opiniões impetuosas, pensamentos truncados, as cabeças aos cacos.

Beber profundamente na Fonte de Pieria significa buscar um conhecimento mais profundo. Bons livros e conversas relevantes, sugere a ensaísta Jo Pires-O'Brien. "O indivíduo que lê é em geral um cidadão melhor, pois sabe agir certo na hora certa e sabe conter o seu julgamento na ausência de provas ou de conhecimentos".

"O irracionalismo, que se caracteriza por julgamentos apressados, pressuposições erradas e opiniões impensadas, e que é a causa da maior parte das mesquinharias entre as pessoas, resulta do conhecimento pequeno. Por isso Pope taxou o conhecimento pequeno de perigoso" (Jo).

A Fonte de Pieria é onde nasceram as nove Musas, filhas de Zeus com Mnemósine depois de nove noites de amor. Mnemósine é Memória, e todas as Musas nascem da Memória. A minha Memória não é boa, mas eu amo as suas filhas.

Musas: da História, da Música, da Eloquência, da Poesia Lírica, da Tragédia, da Comédia, da Dança, da Música Sacra, da Astronomia e Astrologia. Nossa inspiração divina. Toda feminina!

A Leste do Olimpo ficava a Fonte de Pieria e ali as Musas Pierias com seus pés incansáveis e suas vozes cristalinas dançavam e cantavam, acompanhadas quase sempre de Apolo Musagetes, seu líder. As Musas, atenção, são bastante zelosas de sua honra! E punem os mortais que ousem se sentir igualados a elas na arte da música. Nas outras, tanto faz.

Minha amiga psiquiatra faz afirmações geniais. Ela diz que todas as pessoas nascem deuses e com o tempo são transformadas em seres humanos. Vamos com o tempo construindo as nossas ignorâncias.

Melhor pensar como Sócrates, Todo o meu saber consiste em saber que nada sei. Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância. Melhor pensar como os poetas. Reviram o avesso do avesso da ignorância.

Autodidata é um ignorante por conta própria. Diz o poeta passarinho, Mário Quintana. Passarinho não é ignorante, passarinho é poeta.

Poeta é um sábio ignorante. Manoel de Barros bebe as ignorãças bonitas que existem. O desconhecer para conhecer. O desaprender todos os lugares-comuns.

"As coisas não querem mais ser vistas por pessoas razoáveis: Elas desejam ser olhadas de azul Que nem uma criança que você olha de ave". (Um poeta desentende o mundo, e assim o entendemos).

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.