Especial Publicitário

Viver de Festa

Em 41 anos de profissão, o empresário e consultor Paulo Bruin soma 400 eventos no currículo, além de mais de 300 turmas (ou cerca de 7 mil pessoas) capacitadas em treinamentos por todo o Brasil.

05:00 · 12.06.2018
Paulo Bruin
Paulo Bruin: empresário e consultor de organização de eventos.

Em 41 anos de profissão, o empresário e consultor Paulo Bruin soma 400 eventos no currículo, além de mais de 300 turmas (ou cerca de 7 mil pessoas) capacitadas em treinamentos por todo o Brasil. Com tamanha experiência, ele garante: organizar um evento bem-sucedido não é tarefa para qualquer um. São centenas de itens a serem checados e, dependendo da complexidade do acontecimento, são semanas ou meses de trabalho intenso até que tudo esteja resolvido. "A primeira coisa para quem decide empreender nesse setor é ter uma mentalidade profissional. O organizador de eventos não pode simplesmente fazer subcontratações: ele está prestando um
serviço", observa.

Apesar de ser uma função que requer diversas habilidades e amplo conhecimento sobre vários assuntos, de finanças a jornalismo, passando por Administração de Empresas e Direito, investir nesse setor é compensador, diante de sua importância para a economia e da imensa cadeia produtiva que movimenta. "Toda vez que você realiza um evento num local, movimenta todos os segmentos do comércio do entorno", resume Paulo Bruin.

Nessa entrevista ao Você Empreendedor, ele explica a importância da capacitação para se tornar um organizador de eventos de sucesso, ressalta a necessidade de especialização e dá dicas preciosas para quem pretende empreender no setor.


VOCÊ EMPREENDEDOR: Qual é a importância do setor de eventos para a economia?

PAULO BRUIN: Primeiro, é importante definir: evento é qualquer tipo de iniciativa que tenha o objetivo de reunir pessoas para uma finalidade específica. Considerando esse conceito básico, temos eventos corporativos, sociais, acadêmicos, técnicos, etc., e toda uma classificação dessa área de eventos no Brasil. Sempre que você realiza um evento num local, movimenta todos os segmentos do comércio no entorno: hotelaria, turismo, alimentos e bebidas, além de prestadores de serviços dos mais diversos tipos. Dependendo do tipo de evento, se movimenta muita coisa, toda a
cadeia produtiva.

Para quem decidir empreender no setor, quais são as particularidades?

A primeira coisa para quem decide empreender nesse setor é ter mentalidade profissional. O organizador de eventos não pode simplesmente fazer subcontratações: ele está prestando um serviço com a expectativa de quem o contrata de que ele vai dar conta de todos os detalhes do evento. A pessoa tem que vender a sua experiência, baseada em eventos que já organizou.

Que tipo de habilidades, conhecimentos ou qualificações o empreendedor do setor de eventos precisa ter?

A primeira coisa é fazer um curso. O ensino da gestão de eventos no Brasil tem cursos de curta duração (dois anos), que já dá a graduação. Depois, existe a possibilidade de se fazer uma Pós-Graduação. Se não quiser fazer uma faculdade, o Senac e o Sebrae oferecem cursos na área, ou fazer outro tipo de curso que habilite. Outra coisa é que a pessoa precisa ser empreendedora, mesmo. Independente da remuneração, é preciso fazer um evento com o intuito de que ele seja bem-sucedido para ser realizado todos os anos. Quanto ao conhecimento, é preciso entender um pouco de tudo, desde assessoria de imprensa, para saber o melhor dia e horário para divulgar um evento para a imprensa, até economia e finanças, na hora de definir o orçamento.

Também é preciso entender sobre legislação?

Com certeza. Aí se percebe que organizar um evento não é só fazer subcontratações, é preciso conhecer um pouco de leis trabalhistas, porque existe a legislação de contratação de trabalho terceirizado para eventos. Um exemplo: o segurança, armado ou não, tem que ter habilitação para fazer o trabalho. Se eu for pego em uma fiscalização, eles podem tirar todos os profissionais que estão trabalhando nessa função. Todo evento tem que ter uma brigada de incêndio, sob pena de o organizador responder por crime de responsabilidade civil. Esses cuidados são básicos. O organizador de eventos é corresponsável por tudo o que acontecer no evento.

Há algum setor de eventos específico para investir, que seja
mais promissor?

O de eventos corporativos, porque as empresas estão começando a enxergar novas possibilidades para organizar seus eventos. Por exemplo, em razão dos custos, ao invés de participar de uma feira, há empresas que estão preferindo organizar seus próprios eventos internos para divulgar e promover seus produtos e serviços para seus clientes.

O conceito de eventos é muito amplo, por isso é importante a pessoa se especializar em um tipo de evento?

Uma coisa que sempre falo nos cursos para organizadores de eventos que eu ministro: recomendo que a pessoa faça qualquer tipo de evento, mas que tenha especialização em um tipo de evento só, pois cada evento que se organiza é uma peculiaridade. Existem alguns pontos em comum, como a legislação, mas os detalhes da organização variam de um para o outro, dependendo, também da complexidade (quantidade de dias, número de participantes, local, detalhes de logística etc.). 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.