Especial Publicitário

Destaque continental

Imagine um sistema que gera hipótese diagnóstica para a identificação do diabetes, por meio de inteligência artificial e processamento de imagens do fundo do olho. Essa foi a solução criada pela startup DiaVision, única representante do Ceará na seletiva latino-americana da Imagine Cup.

Equipe da DiaVision: projeto de grande visibilidade na Copa do Mundo das startups.
05:00 · 31.07.2018

Imagine um sistema que gera hipótese diagnóstica para a identificação do diabetes, por meio de inteligência artificial e processamento de imagens do fundo do olho. Essa foi a solução criada pela startup DiaVision, única representante do Ceará na seletiva latino-americana da Imagine Cup, no mês de maio, em São Paulo. A startup ficou entre as seis melhores da América Latina na competição mundial de tecnologia promovida pela Microsoft.

A startup é resultado da colaboração entre membros de um ecossistema tecnológico formado pelo Microsoft Innovation Center (MIC-Fortaleza), como braço de inovação e empreendedorismo do Centro Universitário Farias Brito (FB UNI) e sua parceira WDA Tecnologia. “Pelo MIC, foi realizado o amadurecimento/acompanhamento da startup, bem como o suporte e a orientação nas tecnologias Microsoft. A WDA Tecnologia concebeu a parte tecnológica com foco em inteligência artificial e no processamento de imagens”, explica Taylor Aguiar, Gerente de Inovação Farias Brito.

O projeto é de Rhuan Santiago, aluno do FB UNI, ex-estagiário do Microsoft Innovation Center Fortaleza e atual Gerente de Projetos da WDA Tecnologia. Entre os 180 projetos inscritos, a startup DiaVision ficou entre as 13 finalistas, concorrendo com projetos de todo o Brasil e de países como México, Argentina e Chile. “Foi uma responsabilidade muito grande, pois estávamos representando o Ceará em uma competição com projetos das principais universidades do Brasil e da América Latina”, afirma Rhuan Santiago.

Apesar de não ter vencido o Mundial, a equipe ficou entre os seis melhores projetos da América Latina, o que possibilitou uma imediata projeção continental. “Além da colocação do projeto na competição, um dos pontos mais importantes foi o feedback dos jurados e dos membros da comissão avaliadora da Microsoft. Houve uma unanimidade acerca do valor da proposta do projeto e muito entusiasmo pela forma como foi abordado um problema crítico como a Diabetes Retinopática em nível global”, explica Rhuan Santiago.

De acordo com o autor do projeto, agora a startup se prepara para a validação do negócio. “Trabalharemos em dois pontos: o primeiro é aprimorar a tecnologia de coleta de imagem e algoritmo para alcançar diagnósticos mais precisos; o segundo é validar o modelo de negócio junto ao mercado”, pontua.

COMPETIÇÃO GLOBAL

Para ajudar futuros interessados em participar da competição da Microsoft, o FB UNI informa que vai iniciar o programa Academia Imagine Cup, que terá como foco preparar startups para o Campeonato Mundial. “Na Academia Imagine Cup, auxiliaremos desde a parte tecnológica e o modelo de negócio até a preparação de material para inscrição na Imagine Cup 2019”, afirma Taylor Aguiar.

A Imagine Cup foi criada em 2003 pela Microsoft com o objetivo de transformar trabalhos acadêmicos em startups de sucesso. “A Imagine Cup é considerada a Copa do Mundo das startups. As mentes jovens mais brilhantes apresentam suas soluções tecnológicas para o mundo inteiro, além de contar com o apoio da equipe Microsoft por meio de mentorias e softwares”, destaca Taylor Aguiar.

Em 2018, pela primeira vez, o Brasil sediou a etapa latino-americana da Imagine Cup. Foram quase 5 mil competidores, sendo selecionadas oito equipes brasileiras, três mexicanas, uma argentina e uma chilena, com ideias inovadoras voltadas para saúde, educação e serviço. Para a final, em Seattle (EUA), foram selecionadas três, representando Brasil, México e Argentina. “O prêmio para a equipe vencedora da Imagine Cup 2018 é de mais de US$ 100 mil, somando dinheiro, viagens e créditos em nuvem, como subsídio para desenvolvimento do projeto, além de mentoria do indiano Satya Nadella, CEO da Microsoft”, conta Taylor Aguiar. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.