Especial publicitário

Bela arte

Inspiração na maternidade para compor as peças da Molduras da Belle

04:00 · 15.08.2017

A arte de uma empreendedora cearense está cada vez mais conhecida Brasil afora. Com mãos habilidosas e uma boa dose de criatividade, Eveline Pires (foto acima), de 47 anos, faz sucesso em diversas regiões do País com o seu negócio, o Molduras da Belle. As gestantes são o maior público-alvo da empresa, que produz e comercializa kits de higiene (pote de algodão, pote de cotonete e a travessa para colocar esses utensílios) e quadrinhos para decoração de quartos infantis e de portas de maternidade.

Molduras da Belle começou há três anos, quando a artesã desfez a sociedade de um negócio similar com a antiga sócia por questões de logística. Desde o início do novo projeto, a filha de Eveline, Isabelle Pires, hoje com 17 anos, se interessou pelo artesanato e pediu para ajudar. “Ela achou interessante e viu nesse ramo a possibilidade de uma renda. Ela gosta e pediu para participar. Está aprendendo e começando a trabalhar com isso, também”, comenta a mãe. Atualmente, ela produz os quadrinhos e os kits de higiene, e a filha é responsável pelo marketing. A própria Isabelle faz as peças gráficas e as divulga. A mãe garante que a dupla tem conseguido bons resultados.

Uma das estratégias para alavancar o negócio foi a utilização das redes sociais. Por meio delas, Eveline faz contato com as clientes, envia informações e faz esclarecimentos sobre os produtos. Com tantas amigas virtuais, inclusive em grupos de compra e venda de material para mãe e bebê, o negócio da artesã cearense foi se propagando.

Entretanto, uma parte dos clientes da Molduras da Belle conhece os produtos da empresa por meio do tradicional e sempre eficiente boca a boca. Dessa forma, Eveline Pires tem recebido pedidos do país inteiro. Em um segundo momento, Eveline e Isabelle trocam fotos dos produtos com as clientes até a aprovação. Com o material aprovado e o pagamento realizado (por meio de depósito bancário), é hora de ir aos Correios. Segundo a artesã, leva de 10 a 20 dias desde o primeiro contato até a mercadoria ser postada. “Sempre deu tudo certo, nunca teve quebra, e pretendemos seguir assim”, relata Eveline.

Nesse ritmo, elas aceitam de 5 a 20 pedidos por mês, o que consideram um número bem razoável para manter uma boa qualidade de vida. “É o trabalho que eu pedi a Deus. Eu me realizo por gostar de trabalhar manualmente e porque para a maternidade é ainda mais especial. Tanto é que raramente faço um quadro igual ao outro, porque gosto de desenvolver, criar, imaginar a peça dentro do próprio quarto, como vai ficar”, descreve a artesã, que trabalha no ramo há 17 anos. Ela conta que não vive só disso, mas que gera uma boa renda complementar.

Eveline também tem a ajuda do marido, José Alvim, que desenvolve as resinas usadas como matéria-prima. Produzidas a seis mãos, as peças estão ganhando o Brasil. Tocantins, Bahia e Espírito Santo são exemplos de locais para onde as peças da Molduras da Belle já foram. Mas Eveline garante que as gestantes que mais pedem são do interior de São Paulo, de Pernambuco e de Natal.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.