Especial Publicitário

Ações planejadas

Não planejar um negócio é tão arriscado quanto caminhar no escuro: não se sabe para onde vai e muito menos se os resultados das ações serão positivos ou negativos. Para não se perder nessa caminhada, uma das ferramentas de gestão mais estratégicas para uma empresa é o Plano de marketing.

05:00 · 31.07.2018
Wagner Costa
Wagner Costa: é importante revisar o plano com frequência.

Não planejar um negócio é tão arriscado quanto caminhar no escuro: não se sabe para onde vai e muito menos se os resultados das ações serão positivos ou negativos. Para não se perder nessa caminhada, uma das ferramentas de gestão mais estratégicas para uma empresa é o Plano de marketing. “Sem um Plano de Marketing o empreendedor terá dificuldade de priorizar ações estratégicas para o negócio e mensurar seus resultados”, salienta Alisson Gomes, analista de Marketing do Sebrae. O profissional reforça que o documento é fundamental para quem está iniciando o negócio. “Possibilita uma visão ampla do negócio e do mercado, identificando oportunidades que podem ser transformadas em vantagens competitivas em relação à concorrência. Quem tem um bom Plano de marketing, sem dúvida, sai na frente dos concorrentes”, defende o consultor.

De acordo com Alisson Gomes, uma estrutura básica para um plano de marketing contempla os seguintes pontos: análise de mercado, definição do público-alvo e do posicionamento, diferenciais da concorrência, objetivos, estratégias elaboradas a partir do Mix de Marketing (Produto, Preço, Praça e Promoção) e, por fim, acompanhamento e mensuração dos resultados.

Wagner Costa, publicitário com MBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC-RJ e gestor de marketing do Centro Universitário Católica de Quixadá (Unicatólica), sugere sete itens que não podem ficar de fora da estrutura do plano (veja quadro nesta página). Mas ressalta que é importante revisar o documento com frequência. “O Plano de marketing deve ser regularmente utilizado e atualizado, pois ele analisa o mercado, adaptando-se às constantes mudanças e identificando tendências”, explica Wagner Costa.

O gestor de Marketing da Unicatólica salienta a importância de ser cuidadoso na elaboração do plano. “O empreendedor não pode cometer o erro de ser impulsivo e atropelar as etapas. Ele será um grande aliado do seu negócio e ajudará a minimizar as falhas que possam ocorrer ao longo da trajetória empresarial”, conclui Wagner Costa.

UM BOM PLANO DE MARKETING

Produto / serviço: para ser mais assertivo, o empreendedor não deve criar um produto e depois procurar por consumidores, o ideal é o contrário. Consulte as pessoas sobre o que elas precisam e, somente depois, pense no produto;

Análise da concorrência: saber quem é seu concorrente é fundamental, assim é possível identificar como eles estão atuando no mercado e quais estratégias estão usando;

Metas: o empreendedor precisa estipular aonde quer chegar;

Cliente: conhecer seu cliente é fundamental na hora de planejar estratégias e ações – todo o discurso e todas ações da empresa são direcionados para esse público;

Orçamento: saber o quanto você poderá investir viabilizará a implementação das estratégias e ações criadas em seu plano;

Cronograma: ações planejadas são muito mais eficientes e devem ser embasadas pelas informações e oportunidades levantadas pelo Plano de marketing.

Monitoramento: medir e acompanhar todo o trabalho para identificar erros, problemas e melhorias a serem realizadas.

FONTE: Wagner Costa, Gerente de Marketing da Unicatólica

SAIBA MAIS

O portal do Sebrae disponibiliza materiais gratuitos para baixar sobre Plano de marketing: sebrae.com.br

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.