Especial Publcitário

A todo vapor

O interior do Ceará se revela uma região promissora e propícia ao empreendedorismo, com números de crescimento, por vezes, maiores que na Capital, é o que revelam os dados do Portal do Empreendedor e Alice Mesquita, articuladora da Unidade de Atendimento do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Ceará (Sebrae/CE).

05:00 · 17.07.2018
Alice Mesquita
Alice Mesquita: potencial no interior para negócios não tradicionais.

O interior do Ceará se revela uma região promissora e propícia ao empreendedorismo, com números de crescimento, por vezes, maiores que na Capital, é o que revelam os dados do Portal do Empreendedor e Alice Mesquita, articuladora da Unidade de Atendimento do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Ceará (Sebrae/CE).

De acordo com as estatísticas, descreve a articuladora, todos os municípios cearenses têm tido um número de crescimento razoável de empreendedores. Quanto ao tipo e ao tamanho do negócio, no Interior, eles são prioritariamente micro e pequenas empresas e são, basicamente, negócios mais tradicionais (mercearias, minimercados e comércio varejista de moda e acessórios). Enquanto na Capital, há mais oferta de negócios nas áreas de tecnologia, startups e inovação.

POTENCIAL

“Dentro da experiência que a gente tem no Sebrae, a gente vê que quando as pessoas começam a perceber no empreendedorismo a possibilidade de geração de renda, isso as faz apostar nessa temática”, aponta Alice Mesquita. Ela acrescenta que as regiões Norte e Sul do Estado, principalmente o Cariri, são os pontos em que o desenvolvimento empreendedor é mais acentuado, seja por estratégias municipais ou de localização dos territórios.

E ainda há muito potencial de crescimento do empreendedorismo no Interior, frisa a profissional. “O que se precisa é que as instituições – Sebrae e Governo de uma maneira geral – despertem o empreendedorismo nos jovens. Além do grande potencial de desenvolvimento, tem a internet, que leva conhecimento para todas as partes, sendo um ponto facilitador para empreender. Também é importante tentar entender em que momento as pessoas estão para dar a ajuda necessária”, pontua a profissional.

Atento a isso, o Sebrae tem propostas específicas para o Interior. “O esforço que o Sebrae está fazendo hoje é para que nós comecemos a desenvolver, nos municípios, negócios de transformação digital que estamos vendo no mundo atualmente. Porque há muito potencial no Interior, sobretudo com relação a negócios não tradicionais, como nas áreas de inovação, tecnologia e startups. Em torno de 100 municípios participam desse processo”, esclarece a articuladora.

Alice Mesquita comenta que mesmo em negócios tradicionais, há espaço para crescimento e pode-se colocar alguma veia de inovação. Um comércio tradicional, por exemplo, pode ter algo de diferencial, seja na forma de abordagem ao cliente, na localização ou outro aspecto.

Outra ação do Sebrae para esse público é o Programa Nacional de Educação Empreendedora, que começa a trabalhar a questão do empreendedorismo nos jovens. Em parceria com o Governo do Estado e com as prefeituras, o programa passa o ano inteiro instruindo os alunos, culminando com uma feira de empreendedorismo no fim do ano letivo. Alice explica que há conteúdos para ensino fundamental, médio e superior e que o programa, que intenciona chegar a todo o Estado, já está em torno de 100 municípios do interior cearense. “Estamos plantando a sementinha do que serão as empresas do futuro e a gente já começa a perceber que os alunos têm uma nova visão do empreendedorismo”,
obsera a profissional. 

NÚMEROS

No Ceará, excluindo os números de Fortaleza, temos um total de 128.218 Microempreendedores Individuais (MEIs) registrados, distribuídos da seguinte forma:

1º lugar – Mercearia e minimercado = 11,27%

2º lugar – Comércio varejista de moda e acessórios = 9,86%

3º lugar – Salão de beleza = 5,40%

4º lugar – Lanchonete e similares = 3,30%

FONTE: www.portaldoempreendedor.gov.br

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.