Gravidez

Yoga facilita a conexão entre a mamãe e o bebê

A prática dos exercícios específicos proporciona à mulher o equilíbrio e a segurança necessários no período da gestação

00:00 · 30.06.2018
Yoga na gravidez
Para as mamães de primeira viagem, Ilona Facchini e Janderlly Aguiar, a prática do yoga proporciona consciência corporal, disposição, mobilidade, melhora a respiração, a circulação e, especialmente, a sintonia com o bebê ( Foto: Fabiane de Paula )

O principal diferencial do yoga desenvolvido para a gestante é a realização do trabalho de forma integral. Segundo a professora de yoga Yelw Felício, os movimentos estimulam a grávida a conhecer o próprio corpo.

Leia também:

> Yoga Caminho da autotransformação
> Exercite-se com o movimento dos animais 
> Para aliviar as dores musculares 
> Relação com o 'aqui' e o 'agora' 

"Isso ajuda a mulher a se adaptar às mudanças físicas e hormonais, que modificam o astral e o comportamento, condição comum no processo do desenvolvimento do bebê".   

Na prática do yoga, a gestante aprende a liberar as dores e os desconfortos físicos por meio do alongamento, fortalecimento, tonificação, atenção, relaxamento e visualizações.  

Os movimentos trabalham os músculos respiratórios para ganhar espaço interno. "A qualidade respiratória é fundamental para uma boa oxigenação do bebê tanto ao longo dos nove meses quanto no trabalho de parto", destaca Yelw.  

Posturas

As posições que ajudam a manter a postura, o equilíbrio e o relaxamento são as que abrem a parte da frente do corpo. Elas alongam os músculos da parede abdominal anterior para acomodar o útero na medida em que ele cresce. Também alongam os músculos respiratórios, sobretudo o diafragma, ampliando a respiração, a coluna e favorecendo o bom funcionamento dos sistemas circulatório, digestivo e respiratório.

Para equilibrar as cinturas escapular e pélvica, os melhores movimentos são os que liberam as tensões nos ombros e pélvis e preparam os músculos do períneo para uma boa tonificação dessa musculatura que tem uma relação direta com a coluna lombar e o parto natural.

"Posturas que fortalecem e energizam o corpo e a confiança em si mesma, como a do Guerreiro. Relaxamento guiado e meditação, conduzindo a mãe para uma maior conexão consigo e com o bebê".

Normalmente, o obstetra libera a paciente para iniciar a prática de atividade física após o 1º trimestre, período de formação do feto. Conforme a profissional, nos casos em que a gestante já era praticante de yoga ou adepta da atividade física com frequência, a autorização é antecipada.

Frequência

Para obter melhores resultados, o ideal é que a gestante participe de 2 a 3 aulas por semana, com duração de 1:15minutos cada. Porém, Yelw diz ter alunas que fazem somente 1 vez na semana e relatam diversos benefícios.

A prática do yoga deve ser evitada por gestantes em recomendação médica de repouso total. As vezes, devido ao sangramento ou descolamento de placenta. "Em situações especiais, as aulas são individuais e realizadas onde a paciente se sentir mais confortável", afirma Yelw Felício.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.