HÁBITO DOMÉSTICO

Tirar os sapatos: questão de conforto, higiene e respeito

Andar descalços dentro de casa evita a proliferação de poeira e sujeira, além de proporcionar maior mobilidade

Ao entrar em casa, a primeira atitude das irmãs Lia, 6 anos, e Amanda, 3, é deixar os calçados na porta. Elas gostam da sensação de liberdade e também de pisar e sentir o chão tocando os pés ( Foto: Nicolás Leiva )
00:00 · 03.02.2018

Na casa do fotógrafo Nicolás Leiva é costume deixar os sapatos na porta de casa. Mas, segundo ele, não é por conta dos microrganismos e, sim, por uma questão sensorial, de colocar os pés no chão e sentir onde se está pisando. Assim como Nicolás, as filhas Lia, 6 anos, e Amanda, 3, estão sempre descalças. O local para deixar os sapatos não é muito organizado, na opinião do pai, mas o importante é o gesto espontâneo das meninas.

LEIA AINDA
> Hábito japonês: bem-vindos, sem calçados
> Cuidado com as bactérias!

Natural do Chile, Nicolás também atribui o hábito ao clima quente de Fortaleza, o qual favorece o uso de calçados mais abertos e, por conta disto, mais fáceis de removê-los. Por ser um profissional liberal, costuma usar roupas e calçados bem despojados. O mesmo não ocorria na temporada gelada em que o fotógrafo viveu no Canadá, onde a neve o obrigava a deixar os calçados do lado de fora da casa. Desde então, adotou o costume, faça frio ou calor.

Herança Cultural

O hábito de tirar os calçados antes de entrar em casa independe de país ou região. Há quem adote tal ideia, mas também quem a ignore. Entretanto no Japão trata-se de uma tradição milenar. Esse costume não se restringe ao próprio lar, mas também ao visitar outras residências. Para isso, existe uma área chamada "genkan" - na qual são retirados e acomodados os calçados.

Os japoneses acreditam que, ao tirarem os sapatos, eles estão evitando que energias impuras da rua quebrem a harmonia do lar. Além disso, o gesto é considerado uma forma de respeito - demonstrando que você não deseja sujar o ambiente e que, assim como em um lugar sagrado, está sendo humilde ao despir os pés antes de entrar no local.

Para além da questão comportamental, contudo, esta ação milenar da cultura japonesa pode reduzir a carga de microrganismos dentro de casa, ressalta o infectologista Guilherme Henn. Ele chama a atenção ainda para os bichinhos de estimação, os quais também podem contribuir na proliferação dos microrganismos. Para tanto, o infectologista recomenda, se possível, higienizar a parte inferior das patas antes de entrar em casa (isso se o animal viver dentro da casa).

Embora existam diversos produtos próprios para tal (como lencinhos umedecidos ou antissépticos), a rápida lavagem com água e sabão neutro já faz uma boa diferença - lembrando sempre de enxugar bem as áreas molhadas para evitar micoses e irritações nas patas dos pets. (CP)

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.