Tai Chi Chuan

Tempo sem pressa

A ciência do cuidar e a primazia do tempo como opções terapêuticas que ajudam a manter a qualidade de vida

00:00 · 08.09.2018 por Giovanna Sampaio - Editora do Vida
Image-0-Artigo-2448332-1
Flávio Pessoa, instrutor sênior de tai chi chuan, a arte marcial em 'câmera lenta' ( Foto: Reinaldo Jorge )

Adepto do Tai Chi Chuan há seis anos, o geriatra José Carlos Aquino Campos Velho, principal porta-voz do Movimento Slow Medicine no Brasil, traz a filosofia e os princípios de tempo e de ritmo para a vida cotidiana. Em seu trabalho de conclusão do curso de pós-graduação da Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan (tradição da família Yang), realizado em colaboração com a Universidade de São Paulo (USP), o médico define justamente o conceito de lentidão, ponto em comum destas duas práticas.

> Movimento lento, sequencial e cadenciado 
 
"Pode funcionar como uma ponte, pois a sacralização do tempo é uma virtude a ser preservada inclusive na relação médico-paciente", destaca o Dr. José Carlos Velho.

No entanto, é importante enfatizar que a Slow Medicine não se configura como medicina alternativa. Seu referencial teórico está na medicina baseada em evidências; e a prática ocidental/convencional é a sua principal ferramenta de trabalho.

Bom senso

Embora 'olhe' com simpatia possibilidades de cuidado que ofereçam menos riscos ao paciente e contribuam para a qualidade de vida, o médico geriatra diz ser necessária cautela sobre o fato "de que qualquer coisa é válida se a pessoa se sentir bem".

Essa posição do Movimento Slow Medicine é clara quando determina "que em nenhuma hipótese as 'outras medicinas' devem substituir tratamentos de comprovada eficácia".

Pondera também ser preciso manter "a mente aberta" às escolhas e preferências das pessoas, assim como das políticas de saúde que ofereçam abordagens integrativas. Mas que isso aconteça "dentro de uma certa racionalidade".

É o caso, por exemplo, da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares, que disponibiliza, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), opções terapêuticas como o Tai Chi Chuan, e as que fazem parte da Medicina Tradicional Chinesa, como a acupuntura e a homeopatia.

Tai chi chuan

Corpo: alonga os tendões, relaxa os músculos, estabiliza a pressão arterial, melhora o ritmo cardíaco, regula taxas hormonais (colesterol, triglicerídios, glicose). Também diminui dores e edemas, além de contribuir para melhorar o sono e a coordenação motora;

Mente: estimula a memória, atenção, concentração, amplia a percepção sensorial, reduz o estresse, ansiedade e o autoconhecimento;

Sociabilidade: possibilita convivência social e, assim, novas amizades;

Espírito: ameniza a agitação dos pensamentos, auxilia o foco no cuidado consigo e com o outro

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.