Rinoplastia

Técnica modela o nariz e harmoniza a face

A cirurgia plástica pode ser realizada tanto para objetivos estéticos quanto para corrigir disfunções respiratórias

00:00 · 01.09.2018
Image-0-Artigo-2445839-1
A rinoplastia pode ser realizada de duas maneiras: aberta ou fechada. O ideal é que a escolha da técnica seja definida em comum acordo entre o paciente e o cirurgião

Seja para corrigir o formato do nariz ou tratar disfunções respiratórias, a rinoplastia é um dos procedimentos cirúrgicos mais realizados no Brasil.

> A melhor absorção dos cosméticos na pele
 
O método altera a estética do nariz por meio da manipulação de estruturas como cartilagem, osso e pele. Segundo a cirurgiã plástica Dra. Beatriz Lassance, a técnica possibilita modificar o tamanho ou formato do nariz, mudar a largura, realinhar o ângulo entre o nariz e o lábio superior ou mesmo resolver problemas respiratórios. "Além disso, proporciona um aspecto natural e confere harmonia à face", destaca.

Apesar de ser uma das principais queixas nos consultórios, a especialista diz que a cirurgia só pode ser realizada a partir dos 15 anos, idade em que o desenvolvimento facial do paciente está concluído.

A rinoplastia é geralmente indicada para pacientes insatisfeitos com o tamanho natural do nariz e pode ser associada a outros procedimentos nasais, como a correção do septo nasal e a turbinectomia, que é a retirada de parte dos cornetos nasais, popularmente conhecidos como carne esponjosa.

Procedimento correto

Para a Dra. Beatriz, o diálogo entre paciente e o cirurgião, antes de optar pelo procedimento é indispensável. Isso porque, na maioria das vezes, não é o nariz o responsável pelo incômodo, e sim, o formato do queixo que pode aumentar ou diminuir o tamanho percebido do nariz. "Desse modo, se apenas o nariz for tratado, a harmonia facial continuará alterada. 'Nestes casos, a cirurgia indicada é a mentoplastia", esclarece a profissional.

Devido às estruturas delicadas do nariz, a rinoplastia é complexa e pode durar de uma a três horas. Feita sob anestesia geral, ela tem duas maneiras de ser realizada: aberta ou fechada. Ambas envolvem incisões na região interna da narina.

De acordo com a médica, na rinoplastia aberta também é feita incisão externa na superfície inferior da columela, tecido que divide as narinas. Dessa maneira, o cirurgião consegue erguer a pele do nariz para que as estruturas internas se tornem visíveis.

A técnica é usada quando são necessárias grandes mudanças na ponta do nariz, ela facilita a visualização dos pontos que precisam ser corrigidos. Porém, em função da incisão na columela, a versão aberta gera cicatriz externa.

Já na técnica fechada os cortes são feitos dentro do nariz, o que possibilita ao cirurgião esculpir e modelar os tecidos por meio das incisões internas. "O procedimento é mais rápido. No entanto, a visibilidade das estruturas do nariz é menor", afirma a Dra. Beatriz.

"O tempo de recuperação depende da técnica escolhida, quando não há necessidade de tratamento das estruturas ósseas, normalmente é de duas semanas. Durante esse período, é necessário que a pessoa permaneça em repouso, evite a prática de exercícios físicos e o consumo de cigarro", recomenda a médica.

Conforme a cirurgiã, é comum o paciente levar na consulta fotos como referência para explicar o que ele deseja. Portanto, é fundamental mostrar como é feita a cirurgia e quais as reais possibilidades de finalização, levando em consideração fatores como qualidade da pele, cartilagens e proporção do rosto.

"Por isso, a importância de consultar um médico antes de qualquer procedimento. Apenas ele poderá avaliar e indicar a melhor opção para cada caso", alerta a cirurgiã Dra. Beatriz Lassance.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.