Olheiras

Tatuagem reduz manchas ao redor dos olhos

00:00 · 24.03.2018
Olhos
A aplicação do ácido hialurônico por meio do D&D, o drug delivery digital, permite que a substância clareie e amenize as bolsas que se formam na região dos olhos

Seja por questões genéticas ou vasculares, as olheiras são um incômodo para muitas pessoas. Por isso, cada vez mais surgem tratamentos para resolver este problema que confere um aspecto cansado ao visual.

O mais recente é diminuir os efeitos das olheiras com o auxílio de tatuagem.  Segundo o dermatologista Dr. Abdo Salomão, nesse procedimento o tatuador aplica uma anestesia no local e, em seguida, cobre a área escura com uma tinta permanente no tom da pele, como se fosse uma base corretiva.

Porém, o especialista desaconselha o tratamento e alerta sobre os riscos de ocorrer a piora do aspecto da pele. Isso porque, a região abaixo dos olhos possui uma pele extremamente fina e a chance de o tatuador estourar um vasinho, tornando a região mais escura é maior. "Não é um procedimento seguro, pois a pele muda de cor e tonalidade com o passar dos anos e o pigmento desbota, o que acaba resultando em uma pele disforme e com cores distintas".

Há um grande risco de a coloração ficar diferente do restante da pele, primeiro porque a pele tem períodos que está mais clara e em outros mais escura, ela bronzeia enquanto o pigmento fica fixo. Além disso, há os riscos comuns de qualquer tatuagem, como infecções, alergias, cicatrizes hipertróficas e queloides", afirma o médico.

Porém, segundo o dermatologista, existem outras opções de tratamentos mais seguras e que, ao invés de esconderem, realmente tratam as olheiras. Por exemplo, o laser Vektra QS, é um tratamento eficaz e recomendável, que melhora a textura da pele e clareia as olheiras, sem injetar nada no tecido.

O ideal é fazer uma sessão de 10 minutos a cada 15 dias, num total de 6 sessões. O método é indolor e o paciente pode retornar as atividades na mesma hora. Outra alternativa segura no tratamento das olheiras é a aplicação de ácido hialurônico", finaliza o Dra. Abdo Salomão.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.