Dia do homem

SBU explica o que é preciso saber sobre saúde masculina

00:00 · 14.07.2018

Ao contrário das mulheres, que são estimuladas a consultar um médico regularmente a partir da pré-adolescência, os homens, no geral, não costumam ter esse cuidado com a saúde, e buscam um especialista apenas quando têm algum sintoma.

"O urologista é o médico do homem. Nós cuidamos das enfermidades que podem acometê-lo em todas as faixas-etárias. O homem precisa criar o hábito de se cuidar se quiser ter a longevidade que as mulheres têm", diz o Dr. Sebastião Westphal, presidente da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU).

Cuidados

Neste domingo (15), é celebrado o Dia do Homem, e a SBU aproveita a data para ressaltar os principais cuidados que o homem deve ter em cada faixa-etária. Nas crianças, entre as patologias mais frequentes está a hipospádia (defeito na formação do pênis), um problema comum, geralmente diagnosticado ainda na maternidade. Há também a fimose, queixa que ocorre em todas as idades e mais comum na infância. O tratamento pode ser clínico ou cirúrgico (postectomia ou circuncisão).

Entre os jovens estão as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) que podem gerar complicações como esterilidade, aborto ou algum tipo de deficiência física ou mental. Nessa faixa etária, o urologista deve ser consultado no caso de ejaculação precoce que, na maioria dos casos, envolve um nível de ansiedade elevado, mas também pode ter causas orgânicas (físicas).

No público adulto, o cálculo urinário figura entre as ocorrências mais significativas. É o caso também da hiperplasia prostática benigna (HPB), que tem relação direta com o envelhecimento, presença de hormônios sexuais e genética. No caso da deficiência androgênica do envelhecimento masculino (DAEM), há a coexistência de níveis baixos de testosterona total no sangue, além de sintomas compatíveis.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.