É lei

Reconstruir a mama é um direito

00:00 · 28.04.2018

A Lei nº 12.802, que prevê a reconstrução mamária imediatamente após mastectomia, completa cinco anos. Contudo, o índice de procedimentos realizados ainda é baixo, com pouca alteração desde a sua aprovação.

Apenas 53,2% das pacientes que passaram pela mastectomia no SUS tiveram a mama reconstruída. Na rede privada, a taxa ultrapassa 74%. Foi o que mostrou a pesquisa realizada pela Femana, em parceria com o Hospital Moinhos de Vento, a Johnson & Johnson Medical Devices e o Instituto Ideafix.

De acordo com o DataSUS, a proporção nos últimos cinco anos é de uma cirurgia de reconstrução a cada 7,5 mastectomias realizadas. Das 468 mulheres entrevistadas, apenas 27,6% disseram conhecer bem a lei.

Segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia, a reconstrução imediata é viável em 90% dos casos. "Além de um direito da mulher, faz parte do tratamento para a cura completa do câncer. A cirurgia devolve para a mulher a imagem corporal e a autoestima", diz a Dra. Maira Caleffi, presidente da Femana.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.