Cross surfe

Prontos para encarar os desafios das ondas

Praticantes de surfe e kitesurfe necessitam de treino personalizado para dominarem as manobras na prancha

O V12 é um equipamento multifuncional, que simula condições de todos os esportes de prancha. A máquina possui uma plataforma que gira 360º ( Fotos: Rinaldo Jorge )
00:00 · 20.05.2017
O Byroboard é uma plataforma instável, que estimula o ganho do equilíbrio e ativa a musculatura necessária para o praticante realizar bem as manobras

Qualquer pessoa a partir dos três anos de idade pode experimentar a sensação de deslizar nas ondas. No entanto, seja atleta, amador ou mesmo quem pretende iniciar a vida esportiva sob a prancha, precisa de preparação física e seguir indicações de profissionais qualificados nas modalidades.

Visando o aumento na demanda de adeptos dos esportes de aventura no Ceará e na carência de treinamentos específicos para esse público, os amigos Paulo Costa, Maurício Flanklin, Leonardo Brayner e Tiago Costa uniram suas experiências e com interesse em somar valores na cultura e no segmento, criaram o cross surfe.

A nomenclatura, segundo a educadora física e personal trainer da Prosurfer-Surf House Joana Saunders é uma vertente do treinamento funcional, que trabalha força, resistência e equilíbrio, porém, aplicado no cross surfe. A vertente utiliza equipamentos e direcionamentos voltados para o aluno adquirir melhores condições de vivência, simulação e equilíbrio que garantam melhor performance e um progresso de aprendizado mais rápido do que se ele treinasse em um ambiente não apropriado.

"A ideia é atender, da melhor maneira, os atletas da cidade ou mesmo pessoas que viajam para o exterior, com a intenção de praticar os esportes como forma de lazer" revela Joana.

Diferencial

Apesar de utilizar exercícios parecidos, a metodologia do cross surfe é completamente diferente da aplicada no crossfit. Isso é nítido na forma de sobrecarga, repetições e como ele é organizado. São demonstrações específicas. Conforme a profissional, o cross surfe tem outras maneiras de adaptar os exercícios para atingir as necessidades do aluno.

Como qualquer atividade física, o cross surfe, se bem direcionado, apresenta benefícios no equilíbrio, principalmente, por ser uma exigência dos esportes de prancha, fortalecimentos dos membros superiores e interiores, condicionamento cardiorrespiratório, trabalhados por meio de cordas e remo. Trabalha também a flexibilidade para evitar que o atleta sofra estiramento e tenha qualidade de movimento.

"Dependendo da intensidade, a prática favorece, ainda, a perda de peso. Caso o aluno não tenha essa necessidade, o treino será focado na força e resistência que, normalmente, é a maior carência dos iniciantes", acrescenta.

Foto

Para a estudante de nutrição Amanda Brilhante que pratica surfe há dois anos, o cross surfe é fundamental para quem, como ele, deseja ganhar força e resistência

Além dos equipamentos comuns, utilizados em outros estúdios de funcional como a corda naval, caixotes, barra olímpica e ligas, o diferencial nos aparelhos do cross surfe são as plataformas e simuladores de ondas como o V12, o Spin e o Byroboard.

Tempo

O treino dura, em média, uma hora. O ideal é que eles sejam praticados diariamente, mas, se realizado três vezes na semana, já é um bom número.

O cross surfe é bastante indicado para quem está iniciando alguma das modalidades na prancha. Isso porque a pessoa terá a oportunidade de aprender e simular fora movimentações que podem ser aplicadas dentro d'água.

Como a fixa de treino é individual, os exercícios são adaptados para as condições físicas de cada um. Por isso, crianças, adultos, idosos e até mulheres grávidas, dependendo da fase de gestação e com autorização médica, podem participar.

Os profissionais estão habilitados para resgatar movimentos que a pessoa realizava quando criança. "Por meio da avaliação é possível saber se a pessoa precisa fazer um treino educativo, antes de realizar os exercícios principais, ou ganhar mais flexibilidade para agachar e conquistar qualidade de movimento", diz Joana.

Os exercícios funcionais já eram ministrados pelos professores da equipe, mas, conforme o sócio da Prosurfer Surf- House, Paulo Costa, a vertente específica para os esportes com prancha surgiu com a recente inauguração do espaço.

Campeão

Além dos alunos do cross surfe, os sócios valorizam a questão social. Prova disso é o patrocínio ao campeão cearense de etapas nacionais e internacionais de surfe, Fabinho Silva. O atleta vivia uma má fase.

Conforme Paulo Costa, "o contratamos e o colocamos como líder dos professores da casa. Criamos a prancha com o modelo Fábio Silva e, ainda, trouxemos duas crianças do Titanzinho, que participam de campeonatos cearenses. A satisfação em proporcionar condições de treino e ver o sorriso no rosto deles não tem preço".

Treino

"O cross surfe trabalha o treino específico para atletas, amadores e iniciantes na prática de esportes de prancha"

Joana Saunders
Educadora Física

Image-0-Artigo-2242433-1

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.