Prevenção

Verrugas nas pálpebras exigem atenção

A principal causa da condição é a infecção pelo vírus HPV

12:00 · 06.06.2018
pálpebra
As verrugas causadas pelo papiloma têm um crescimento lento e não apresentam sangramentos ( Foto: Divulgação )

A aparência das pálpebras pode variar de pessoa para pessoa. Mas, se for notado o aparecimento de uma verruga na região periorbitária ou nas pálpebras, é preciso atenção. Essas pequenas protuberâncias podem ser na verdade o papiloma escamoso, um tumor benigno de pele que causa as papilas, popularmente conhecidas como verrugas.

O papiloma escamoso é o mais prevalente entre os tumores que atingem as pálpebras. No Brasil, estima-se que os tumores palpebrais representam cerca de 16 mil casos ao ano, segundo o Ministério da Saúde. Na maioria dos casos, o papiloma palpebral é causado pelo vírus HPV (vírus papiloma humano).

Segundo a oftalmologista Dra.Tatiana Nahas, especialista em cirurgia de pálpebras e chefe do setor de plástica ocular da Santa Casa de São Paulo, o papiloma escamoso costuma ter a mesma coloração da pele, uma superfície rugosa e não causa dor.

“Entretanto, como é uma lesão provocada por um vírus pode se espalhar para outras áreas do rosto ou até mesmo do corpo, uma vez que é comum as pessoas levarem as mãos ao rosto diversas vezes ao dia”.

Papiloma e HPV

Algumas pessoas ficam surpresas em saber que o HPV, conhecido por ser uma das principais causas de câncer de útero, pode também infectar outras áreas do corpo. Isso se deve ao fato do vírus apresentar mais de 100 subtipos e cada um deles tem diferentes manifestações clínicas.

“A manifestação mais característica e frequente do HPV são as verrugas (papilomas). Inclusive é daí que vem o nome do vírus. O HPV-1 e HPV-2 são os subtipos cutâneos mais comuns. Ao ser infectada, a pessoa pode desenvolver as verrugas na face, mãos e pés, entre outras regiões”, explica Dra. Tatiana.

Assim como qualquer outro tumor benigno de pálpebra, as verrugas causadas pelo papiloma têm um crescimento lento e não apresentam sangramentos.

Mesmo assim, podem atrapalhar o movimento das pálpebras, prejudicar a visão do paciente e se espalhar para outros locais. Por isso é preciso tratar. O papiloma escamoso pode aparecer em pessoas de todas as idades, mas é mais comum em maiores de 30 anos.

Tratamento 

O diagnóstico é essencialmente clínico, já que as verrugas são facilmente identificadas pelo médico na hora da consulta. “O tratamento do papiloma nas pálpebras depende de alguns fatores. Lesões pequenas ou lesões maiores que comprometem a visão ou ainda a estética, devem ser removidas cirurgicamente”, comenta Dra. Tatiana. Caso contrário tendem a se multiplicar e a se espalhar pela região periocular.

“É muito importante que o paciente procure um médico especializado em plástica ocular. Isso porque além deste profissional conhecer a anatomia e as necessidades de proteção do olho, ele também é especializado na reconstrução da região periorbitária, que pode ser necessária dependendo do tamanho e da localização da verruga. A dica é: ao notar qualquer alteração nas pálpebras, procure um oftalmologista”, encerra a médica.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.