Prevenção

Trombose pode ter origem genética

No Dia Nacional de Combate e Prevenção à Trombose, SBACV explica a doença que pode evoluir para embolia pulmonar

09:35 · 14.09.2017
trombose
A trombose venosa localizada nas pernas não oferece risco de morte ( Foto: Divulgação )

No próximo sábado, 16 de setembro, é celebrado o Dia Nacional de Combate e Prevenção à Trombose, doença caracterizada pelo desenvolvimento de um coágulo (trombo) dentro de um vaso sanguíneo, ocasionando o entupimento do vaso e dificultando o retorno venoso ao coração.

A Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV) alerta que quando não tratado, o trombo pode migrar para o pulmão e causar a embolia pulmonar, que pode ser fatal. Por se tratar de uma doença que muitas vezes é assintomática, identificar se pertence ao grupo de risco é muito importante. De acordo com a estimativa da SBACV, de maneira geral, há 60 casos de trombose venosa profunda para cada 100.000 habitantes ao ano.

Os sintomas da trombose são: dor, edema (inchaço) unilateral, vermelhidão na pele, cianose (coloração azul arroxeada), dilatação do sistema venoso superficial, aumento da temperatura local, empastamento muscular (rigidez da musculatura da panturrilha) e dor à palpação. “Ao notar qualquer um desses sintomas é preciso procurar uma emergência”, aponta Ivanésio Merlo, presidente da SBACV.

Casos da doença na família pode elevar o risco de desenvolvimento. “Pessoas com familiares com a doença devem fazer um perfil hematológico, exame para verificar a possibilidade de ter trombofilias, uma enfermidade que causa a coagulação no vaso por herança genética”, explica o cirurgião vascular.

Embolia Pulmonar

A trombose venosa localizada nas pernas não oferece risco de morte. Entretanto, o coágulo pode se desprender dela, migrar pela corrente sanguínea e se alojar nos vasos sanguíneos do pulmão – conhecido como embolia pulmonar, que apresenta risco de morte. Esse coágulo bloqueia a artéria pulmonar, restringindo o fluxo de sangue nos pulmões. Os sintomas da embolia pulmonar são mais nítidos e o atendimento deve ser feito imediatamente: dor no peito, falta de ar, tosse repentina (com possibilidade de expectorar sangue), sudorese e tontura, entre outros.

Entre os riscos para desenvolver a Trombose Venosa Profunda (TVP) estão: idade, uso de medicações, como contraceptivos orais, quimioterápicos e tratamentos hormonais, obesidade, presença de varizes nas pernas, gravidez, pós-parto, tabagismo, câncer, AVC (Acidente Vascular Cerebral).

Traumatismos, principalmente nas extremidades inferiores (risco de TVP por volta de 70% ), além de fraturas osséas, doenças crônicas, como insuficiência cardíaca e doenças agudas, como infarto do miocárdio, também podem ocasionar a enfermidade.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.