“Doença do gato”

Toxoplasmose ocular: doença pode comprometer a visão

Congênita ou adquirida, a enfermidade é causada por um parasita encontrado nas fezes de felinos

10:42 · 08.06.2018
Olhar
A forma congênita da toxoplasmose ocular pode originar-se já no nascimento ou se manifestar logo depois ( Foto: Divulgação )

Até bem pouco tempo atrás, acreditava-se que a toxoplasmose ocular congênita fosse responsável por 80% dos casos diagnosticados da doença. Mas estudos recentes comprovam que a forma adquirida também é bastante comum e depende, principalmente, de um perfil geográfico, do meio ambiente, das condições climáticas, hábitos alimentares e de higiene. Seja como for, a toxoplasmose é uma doença infecciosa causada por um parasita (Toxoplasma Gondii) encontrado nas fezes de felinos. Por isso é chamada “doença do gato”, já que felinos infectados transmitem a doença. 

Indícios

Os sintomas da toxoplasmose ocular são bem parecidos com os de uma gripe forte. Vista avermelhada, sensibilidade à luz e sensação de embaçamento. Um sinal que chama atenção e facilita o diagnóstico é a existência de pontos pretos flutuantes que atrapalham a visão. Quando o parasita se aloja na retina, provoca lesões recorrentes e, inclusive, pode danificar a visão permanentemente.

De acordo com o oftalmologista Renato Neves, diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos (SP), o parasita da toxoplasmose costuma atingir o tecido nervoso, podendo desencadear uma uveíte (doença inflamatória da camada média do globo ocular) se não for exterminado a tempo. Nesse caso, os danos à visão podem ser irreversíveis.

Neves diz que a forma congênita da toxoplasmose ocular pode se dar já ao nascer ou se manifestar logo depois. O acompanhamento pré-natal é importante para reduzir as chances de manifestação da doença. Se a paciente teve toxoplasmose bem antes de engravidar, provavelmente já desenvolveu imunidade contra o parasita da doença. Sendo assim, o risco de infectar o bebê é quase nulo. 

"Se a gestante adquiriu toxoplasmose durante a gravidez, a doença pode ser transmitida para o bebê – aumentando os riscos de um aborto espontâneo, retardo mental, epilepsia, lesões cerebrais, surdez e até mesmo cegueira – isto porque, em casos graves, há o comprometimento da mácula, que é a porção central da retina, responsável pela visão detalhada e central. Infelizmente, a ciência ainda não desenvolveu medicamentos capazes de destruir completamente esse parasita, que pode continuar se manifestando por muitos anos e exigindo rígido controle por parte de médico e paciente”.

O especialista adverte que o resultado positivo para toxoplasmose não é indicativo de que a paciente também seja portadora da toxoplasmose ocular, sendo fundamental realizar um exame detalhado, com dilatação da pupila e mapeamento da retina. Vale ressaltar que a doença não é transmitida diretamente de uma pessoa para outra – somente da gestante para o bebê. 

Contágio

“Geralmente, a pessoa é contaminada por esse parasita em três situações: Durante a gestação; Através do contato com solo, caixa de areia ou latas de lixo contaminados por fezes de felinos infectados; Ingestão de carne crua ou malcozida que tenha sido infectada por falta de higiene apropriada", afirma. 

Leva cerca de 15 a 20 dias desde o contágio até o aparecimento dos primeiros sintomas da toxoplasmose, incluindo a forma ocular. A prevenção da doença continua sendo a forma ideal de evitar as lesões oculares.

O médico diz que, além de cultivar bons hábitos de higiene – lavando as mãos com frequência durante o dia –, é importante prestar atenção em outros aspectos. O contato com gatos requer cuidados dobrados com relação à higiene, por exemplo, já que o parasita se hospeda nas fezes dos felinos. Essa recomendação também é válida para todo local por onde os gatos transitam, como parques e tanques de areia. 

“Evite o consumo de ovos e carnes malcozidos, já que o parasita é resistente e pode estar contaminando o alimento que você vai ingerir. Lave muito bem verduras e legumes antes de consumir esses alimentos crus. De preferência, deixe-os de molho em uma solução de água e vinagre por 15 minutos antes de preparar a receita. Além disso, quando manipular alimentos crus, evite levar a mão à boca ou aos olhos. Se possível, utilize luvas apropriadas quando estiver cozinhando", orienta. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.