Proteção

Temporada de viagens exige cuidados com a saúde

Altas temperaturas demandam programação para que as férias sejam agradáveis e sem problemas evitáveis

09:00 · 07.01.2018
viagens
O protetor solar deve ser aplicado cerca de meia hora antes da exposição solar ( Foto: Divulgação )

O Brasil por ser um país tropical tem temperaturas altas no verão. Em algumas regiões, a sensação térmica ultrapassa os 40 graus. Esse clima, que acompanha as férias escolares, demanda cuidados para evitar problemas de saúde, principalmente em viagens. A Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC) orienta sobre como a população pode preveni-los e aproveitar a época com tranquilidade.

“Pesquise antes do início da viagem serviços médicos que poderão ser procurados em emergência. Caso faça uso de medicamentos para enjoo, diarreia, dores musculares, dores de cabeça, ter atenção quanto ao uso descrito na bula. Um kit de primeiros socorros pode ser providencia do com material para curativos, remédios para dor e febre (de preferência que já tenham sido usados previamente)”, explica Rodrigo Lima, médico de família e diretor de comunicação da SBMFC.

Para quem não tem problemas de saúde que necessitam acompanhamento médico periódico e irá fazer uma viagem sem maiores exigências físicas, não há necessidade de consulta ao médico. Se a viagem vai envolver algum esforço maior (caminhadas prolongadas e trilhas) e esse esforço não é hábito da pessoa, vale se preparar adequadamente antes, e para isso o educador físico tem papel importante.

Só é necessário procurar o médico caso esteja com algum sintoma ou alguma doença crônica que precise de maiores cuidados. Lima recomenda que é importante seguir as orientações dadas por seu médico de confiança e checar sobre interações dos seus medicamentos de uso habitual com outras substâncias. Pode acontecer de haver uma reação entre um medicamento e um alimento, por exemplo.

Atenção

Sobre bebidas alcoólicas, deve-se consumir entre pessoas conhecidas, em ambiente seguro. Se beber não dirigir ou operar máquinas, nem fazer atividades que exijam reflexos rápidos para manter a segurança. Manter-se hidratado, enquanto ingere bebida alcoólica, alternando copos de água com os drinks são uma boa opção. A combinação com a alimentado também merece atenção, pois o álcool pode favorecer o surgimento de vômitos. 

Atividade física

A prática da atividade física precisa ser realizada com cuidado para não provocar lesões das articulações e músculos. O sedentarismo é um dos principais fatores de risco para as doenças crônicas mais frequentes, como hipertensão, diabetes e  vários tipos de câncer. "Para deixar de ser sedentário não é preciso muita coisa, como caminhadas diárias no quarteirão de casa, descer do ônibus um ponto antes do habitual para caminhar um pouco mais ou subir escadas no prédio em vez de usar o elevador", afirma.

Filtro solar  

Cada pele tem o protetor específico. Os protetores solares são classificados por seu FPS - Fator de Proteção Solar. Quanto mais clara a pele, maior deverá ser o FPS do protetor solar. Importante lembrar que o protetor deve ser aplicado cerca de meia hora antes da exposição solar, e que após transpirar muito ou se molhar a pessoa deverá reaplicar o produto. Também está indicada a reaplicação a cada duas horas. 

A exposição solar deve ser antes das 10 da manhã e após às 15h da tarde. Ainda assim, sempre usar protetor solar (com FPS - fator de proteção solar - adequado ao tipo de pele) e outros itens de proteção como roupas, chapéus ou bonés e óculos de sol.

Repelente

“Passe o filtro na pele e após ser absorvido, o repelente pode ser aplicado, no máximo três vezes ao dia, dependendo da exposição e também suor. Evite o uso excessivo, pois o produto tem substâncias tóxicas, que podem causar danos à saúde e antes de dormir, tomar banho com sabonete para que o produto seja eliminado da pele. Em casos de ferida e machucado, não é indicado utilizar o produto, principalmente se estiver aberta, pois a substância pode agravar o estado e atrasar a cicatriz ação”, conclui o médico de família.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.