Pesquisa

Taxa de açúcar elevada na gravidez aumenta risco de doenças cardíacas em bebês

Segundo estudo, o perigo é maior na fase inicial da gestação, quando coração do feto está se formando

13:00 · 16.12.2017
grávida
O estudo analisou os efeitos do açúcar na primeira fase da gestação, quando o coração do bebê está se formando ( Foto: Divulgação )

Altos níveis de açúcar no sangue no início da gravidez aumentam risco de problemas cardíacos em bebês, aponta estudo liderado por pesquisadores da Universidade de Stanford (EUA). A pesquisa foi publicada nesta sexta-feira (15) no "Journal of Pediatrics".

O estudo analisou os efeitos do açúcar na primeira fase da gestação, quando o coração está se formando. A relação encontrada independe da mãe ter diabetes: a cada aumento de 10 miligramas da glicose na fase inicial da gravidez, o risco de um problema congênito no órgão tem um incremento de 8%.

Para chegar aos resultados, a equipe analisou prontuários médicos de 19.107 mães que tiveram bebês entre 2009 e 2015. Os registros continham detalhes do atendimento pré-natal, incluindo resultados de exame de sangue. Dessa análise, pesquisadores encontraram 811 bebês diagnosticados com doença cardíaca congênita; também foram selecionadas as mães que tiveram a glicose testada no início da gravidez e excluidas aquelas com diabetes já diagnosticada.

O próximo passo da pesquisa será seguir um grupo de mulheres na gestação para ver se os resultados se confirmam. Se for posito, a pesquisa pode servir de base para protocolos que exortem médicos a pedirem o exame obrigatoriamente na fase inicial da gravidez.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.