Evitar jejum

Saiba como reduzir o mau hálito matinal

Problema pode estar relacionado com a diminuição de salivação que acontece durante o sono

09:00 · 04.03.2018
mau hálito
Longo período de jejum é um fator agravante do mau hálito ( Foto: Divulgação )

Mesmo após realizar uma higienização completa, com a escovação dos dentes, língua e bochecha, uso do fio dental e do enxaguante bucal, é praticamente inevitável acordar com aquele desagradável mau hálito.

Segundo a dentista Rosane Menezes Faria, o principal motivo está relacionado com a brusca diminuição da salivação que acontece durante o sono. “Esse processo, aliado ao ambiente úmido e com pouca movimentação, causa um aumento considerável da proliferação de bactérias presentes na boca. À medida que elas se alimentam de micropartículas de comida que, inevitavelmente, permanecem nos dentes em um passo natural do processo de digestão, resultam na halitose”, explica.

Outro fator agravante consiste no longo período de jejum que passamos quando estamos dormindo. “Quando o indivíduo fica muito tempo sem ingerir nenhum tipo de alimento, o organismo começa a liberar ácidos graxos, substâncias que, automaticamente, geram o mau hálito”, complementa a especialista.

Higienização

Mesmo que seja impossível acordar de manhã com um aroma de menta na boca, Rosane pontua que existem algumas práticas  que podem amenizar o mau hálito. “Nunca deixe de realizar a higienização completa da boca e língua antes de dormir e, em hipótese alguma, se esqueça do fio dental. Beber bastante água antes de dormir também é fundamental, uma vez que quando deixamos de ingerir o líquido, as glândulas salivares não produzem a quantidade de saliva adequada”, orienta.

Não deitar em jejum e consumir maior quantidade de frutas e verduras são outras recomendações da dentista. “Alimentos como maçã, cenoura e pepino, quando comidos crus e com casca, realizam uma espécie de raspagem dos dentes que complementa a ação de limpeza do fio dental. Assim, ocorre o impedimento do acúmulo de bactérias que causam odores indesejados, principalmente enquanto estamos dormindo”, explica. 

Por fim, a dentista destaca que, caso o problema persista mesmo após as escovações diárias, é importante consultar o dentista. “Halitose é um problema que pode prejudicar a vida pessoal e até profissional de quem sofre com o distúrbio. É normal acordarmos com o odor ruim na boca, mas se o cheiro se prolongar durante o resto do dia, é necessário procurar um auxilio profissional para que a causa do problema seja descoberta e o devido tratamento seja iniciado”.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.