Síndrome

Saiba como o uso excessivo de aparelhos eletrônicos pode prejudicar a saúde ocular

A constante exposição às telas provoca ressecamento ocular, incômodo e fadiga visual

15:47 · 21.04.2018 / atualizado às 17:53
aparelhos eletrônicos
Os hábitos dos brasileiros que têm smartphones podem agravar ainda mais a fadiga visual, já que eles costumam checar o celular cerca de 78 vezes por dia, segundo estudo ( Foto: Divulgação )

Atualmente, é quase impossível passar um dia sem olhar para algum tipo de aparelho digital. Segundo a pesquisa Consumer Barometer, realizada pelo Google, 85% dos brasileiros utilizam a internet diariamente. Esse uso intenso de aparelhos eletrônicos pode causar uma série de incômodos, como dores nas costas, tensão nos dedos e dores de cabeça. Além disso, a exposição contínua à luz artificial emitida pelas telas pode causar danos aos olhos dos usuários.

Segundo estudo, olhar fixamente para os aparelhos faz com que a pessoa pisque cinco vezes menos, o que gera uma instabilidade da lágrima. Esse hábito pode causar fadiga visual e olhos secos, sintomas da Síndrome da Visão do Computador, nome dado ao desconforto causado pela exposição às telas. “Se os sintomas forem recorrentes, o paciente começa a sentir dores de cabeça frequentes e fadiga visual, o que torna o trabalho mais difícil devido ao maior esforço dos músculos dos olhos para enxergar e se concentrar”, aponta a médica oftalmologista Dra. Tatiana Souto.

Os hábitos dos brasileiros que têm smartphones podem agravar ainda mais a fadiga visual, já que eles costumam checar o celular cerca de 78 vezes por dia. Por isso, a busca pelos especialistas é cada vez maior. A Dra. Tatiana explica ainda que “muitas pessoas chegam ao consultório se queixando desse incômodo e acreditam que esses sintomas sejam causados pelas lentes de contato. Na maioria dos casos, o problema ocorre devido ao uso constante do computador e do próprio celular”. 

Lentes corretivas 

Para pessoas que usam lentes de contato, o desconforto ao usar aparelhos digitais pode ser maior. Isso ocorre porque as lentes de contato tornam o filme lacrimal mais fino. A oftalmologista reforça a importância do uso de lentes corretivas com tecnologia de umectabilidade que ajuda a manter o filme lacrimal estável.

A oftalmologista também ressalta a importância de utilizar lentes adequadas para cada tipo de correção visual, principalmente no caso de pacientes com astigmatismo. Muitas pessoas com a condição acabam não corrigindo adequadamente ao usar lentes de contato, o que faz com que a maioria (65%) abandone o uso. 

“Hoje existem muitas opções de lentes de contato para pacientes que têm astigmatismo, combinado ou não com miopia e hipermetropia. Elas são confortáveis e oferecem visão tão boa quanto a dos óculos”. Além de seguir as recomendações, esses pacientes também devem fazer acompanhamento com o médico oftalmologista periodicamente.

Dicas simples podem evitar os problemas da exposição aos aparelhos digitais: No escritório, o ideal é manter a tela do computador sempre no mesmo nível do olhar e durante o trabalho, fazer pausas de três em três horas. Também é recomendado evitar ar condicionado forte e manter o organismo hidratado. 

Nos momentos de lazer, é preciso tentar reduzir o uso do celular, escolhendo atividades ao ar livre. Já pacientes que usam lentes de contato devem fazer a limpeza adequada e usar de forma correta as lentes e se possível, escolher opções que ofereçam maior conforto e tecnologia, como as lentes de contato de descarte diário, que são mais higiênicas e conferem maior segurança aos usuários.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.