Excesso

Saiba como combater a ressaca e os problemas de saúde causados pelo álcool

Para quem não consegue resistir aos copos na comemoração da virada de ano, especialistas fazem alerta

10:00 · 31.12.2017
bebidas no final de ano
Os sintomas mais comuns após o abuso da ingestão de bebidas alcoólicas são dor de cabeça, suor excessivo, vertigem e enjoo ( Foto: Divulgação )

Durante a celebração do Ano Novo é comum o excesso de álcool. O consumo de bebidas alcoólicas pode promover os incômodos da conhecida ressaca ou até mesmo problemas de saúde em curto, médio e longo prazos, como, a dependência e enfermidades em órgãos do corpo nos casos mais graves. Especialistas explicam como evitar transtornos que podem ocorrer após um período de exageros. 

Os sintomas mais comuns após o abuso da ingestão de bebidas alcoólicas são dor de cabeça, suor excessivo, vertigem, enjoo e diarreia. A nutricionista do Hapvida Saúde, Marília Araújo, orienta sobre a necessidade de ingerir bastante água nestes períodos, uma vez que grande parte das bebidas alcoólicas são diuréticas. “Sem água, o organismo não funciona direito e o cérebro sente a obrigação de se esforçar muito mais para executar comandos simples, como caminhar, por exemplo”, explica.

Os alimentos ricos em potássio, como, banana, abacate, kiwi e mamão, contribuem para a recuperação da ressaca, pois seus nutrientes são fundamentais para o sistema nervoso e muscular. Vale ressaltar que dominar o enjoo e ter uma boa alimentação se torna essencial para a melhora dos sintomas. “As frutas são ótimas opções. Ricas em frutose, aceleram o processamento do álcool pelo corpo e repõe a energia”, esclarece a especialista.

De acordo com a cardiologista Sílvia Souza, o consumo exagerado pode gerar a curto prazo, tontura, sonolência, fadiga muscular, dormência nos pontos extremos do corpo (dedos das mãos e dos pés). “O álcool também atinge rapidamente a corrente sanguínea e o sistema nervoso central. Por isso, o indivíduo tende a ficar descontrolado e perde a percepção do ambiente em que está inserido”, explica.

A ingestão de etílicos se torna mais prejudicial, a médio e longo prazos, ao acometer o sistema nervoso, aumentando a probabilidade da dependência alcoólica, mais conhecida por alcoolismo. Problemas no sistema digestivo, fígado, estômago e rins, além de diversos tipos de câncer podem ser motivados devido o consumo constante de álcool. “Bebidas alcoólicas são diuréticas, ou seja, à medida que entra no organismo provocam a liberação de água. Desse modo, podem levar à desidratação”, alerta a médica.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.