Hormônios

Puberdade precoce é mais comum em meninas

Endocrinologista infantil explica situações que podem levar a essa condição e quais as consequências

09:28 · 22.05.2018
puberdade precoce
O estresse pode ser um grande percussor da puberdade precoce e atuar como gatilho do problema ( Foto: Divulgação )

Atualmente, os sintomas do amadurecimento sexual vêm surgindo cada vez mais cedo nas crianças. Características como o aumento das mamas e o crescimento dos pelos pubianos, quando correm antes dos oito anos, caracterizam a puberdade precoce, condição que vem aumentando nos últimos anos, mais recorrente em meninas. 

Segundo um estudo publicado no Pediatrics, com 1.200 meninas, de seis a oito anos, mostrou que hoje o desenvolvimento das mamas, por exemplo, está acontecendo entre oito e pouco mais de nove anos, diferente de 20 anos atrás, onde isso ocorria depois dos 10 anos.

Segundo a endocrinologista infantil, Dra. Camila Novaes, a puberdade precoce não é necessariamente uma doença, pois para considerar se é uma doença ou não, dependerá de uma série de fatores individuais. “O que sabemos até o momento é que, atualmente, tem diminuído a idade para o surgimento da puberdade e também a idade da primeira menstruação, o que necessita de mais atenção dos pais para identificar essa fase”, explica Camila.

Entre algumas das consequências do problema está a diferença que ocorre entre o desenvolvimento do corpo versus a parte psicológica, que muitas vezes não acompanha essa precocidade do corpo. No entanto, a especialista explica que existem uma série de fatores que podem contribuir e serem grandes causadores de puberdade precoce na maior parte dos casos.

Abaixo, a endocrinologista citou e explicou as situações mais frequentes:

Obesidade

O excesso de peso é o principal fator de risco para as meninas em relação à puberdade precoce, isso porque o tecido gorduroso secreta hormônio feminino, o estrogênio, envolvido nas mudanças corporais. ”Essa condição atinge muito mais meninas: para cada dez meninas na puberdade precoce, temos um menino nessas características”, comenta a médica.

Estresse

A endocrinologista explica que o estresse pode ser um grande percussor dessa condição e atuar como gatilho do problema, já que situações com altos níveis de estresse, como a violência, interagem diretamente com o sistema neuroendócrino das crianças, adiantando a puberd ade.

Fatores genéticos

Normalmente, em casos de meninas que as mães menstruaram mais cedo, que já tiveram casos de puberdade precoce na família e até bebês com baixo peso ao nascer podem indicar fatores genéticos influentes.

Entre outras consequências da puberdade precoce estão: baixa estatura, já que o crescimento está ligado ao amadurecimento da parte sexual, gravidez precoce e até problemas de fertilidade, quando está ligado a problemas nas glândulas secundárias.

De acordo com Camila, essa seria a causa menos provável, já que é uma condição em que certas células do organismo se tornam capazes de simular a ação do hormônio feminino, favorecendo a disfunção hormonal e causando a puberdade precoce.

“Além desses fatores, a puberdade precoce também pode estar relacionada à hipertensão, diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares, acidente vascular cerebral e certos tipos de câncer. Por isso, aos primeiros sinais adiantados da puberdade é recomendado a procura do endocrinologista para avaliar a criança e, assim, buscar o melhor tratamento”, finaliza a especialista.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.