Com sucesso

Primeiras cirurgias ginecológicas com auxílio de robô são realizadas no Ceará

Tecnologia garante maior segurança no tratamento de endometriose pélvica

18:00 · 21.08.2018
Cirurgia robótica
Cirurgias ginecológicas laparoscópicas foram realizadas com o auxílio de um robô: o Da Vinci Surgical System, também conhecido como Cirurgia Robótica ( Foto: Divulgação )

O Ceará acaba de avançar uma importante etapa rumo aos procedimentos cirúrgicos minimamente invasivos. No último sábado (18), foram realizadas as primeiras cirurgias ginecológicas laparoscópicas feitas com o auxílio de um robô: o Da Vinci Surgical System, também conhecido como Cirurgia Robótica. O procedimento foi feito por meio da tecnologia disponibilizada pelo Centro de Robótica do Hospital Monte Klinikum e teve a participação dos cirurgiões ginecologistas Dr. Leonardo Bezerra e Dr. Sidney Pearce.

No total, foram realizadas quatro cirurgias em pacientes previamente selecionadas para o tratamento de endometriose pélvica. Devido às vantagens da tecnologia, os procedimentos foram conduzidos de forma mais segura e assertiva, uma vez que, com o auxílio do robô, é possível executar movimentos de maior precisão e delicadeza nas cirurgias de alta complexidade e em locais de difícil acesso, como é o caso da região pélvica. Além disso, as incisões do instrumento são consideravelmente menores, minimizando o trauma associado ao ato cirúrgico e possibilitando uma recuperação mais rápida às pacientes.

A robótica oferece inúmeros benefícios em cirurgias complexas, como em casos de câncer uterino, e extensas, como a da endometriose. “O uso do Robô Da Vinci destaca-se como ferramenta inovadora para cirurgia ginecológica minimamente invasiva em todo o mundo. De agora em diante, poderemos oferecer amplamente em Fortaleza o tratamento cirúrgico auxiliado por braços robóticos às nossas pacientes que sofrem com doenças como endometriose profunda, miomas uterinos, útero baixo e muitas outras afecções ginecológicas”, comemora o ginecologista Dr. Leonardo Bezerra.

Preparação

A capacitação do cirurgião ginecológico para realizar o procedimento por meio do sistema robótico exige pelo menos dois anos de preparação. São etapas teóricas, assistidas em computador, e práticas, realizadas em modelos de simulação cirúrgicas com animais. A escolha dos profissionais requer uma ampla experiência e sólida formação prévia em cirurgia ginecológica, laparoscopia e tecnologias minimamente invasivas: tudo executado dentro dos preceitos da bioética e, sobretudo, na segurança das pacientes.

A tecnologia já vem sendo utilizada no Ceará desde 2015 para cirurgias urológicas, proctológicas e bariátricas, proporcionadas pelo Centro de Robótica do Hospital Monte Klinikum, que já conta com sólida experiência de sucesso de mais de 250 cirurgias robóticas nesse período. Com a capacitação de novos cirurgiões em ginecologia, espera-se que as pacientes que sofrem com doenças ginecológicas e que precisam ser tratadas por cirurgia possam contar com uma opção mais segura e menos traumática.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.