Limitação física

Pesquisas utilizam terapias complementares para o tratamento da artrose no joelho

Estudo convida voluntários para avaliação e intervenções terapêuticas

11:14 · 15.02.2018 / atualizado às 11:48
dor no joelho
Entre as articulações que suportam peso, a do joelho é a mais acometida pela osteoartrite ( Foto: Divulgação )

A osteoartrite é uma das principais causas de limitação física em adultos e idosos, responsável por 1/8 de toda a restrição das atividades diárias dos indivíduos que sofrem com a doença. Nova pesquisa tem como objetivo verificar se recursos físicos, como a crioterapia (gelo) e a laserterapia (laser de baixa potência), potencializam o efeito de terapia sobre a dor em pacientes com a condição (artrose) no joelho. O estudo é realizado no Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia (PPGFt) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

Doença

De acordo com a orientadora do estudo, Tania de Fátima Salvini, entre as articulações que suportam peso, a do joelho é a mais acometida pela osteoartrite. "Atualmente, diferentes opções de tratamento estão disponíveis, mas uma combinação de tratamento não farmacológico, que inclui a educação do paciente, exercícios, mudanças de estilo de vida e fisioterapia, associada aos tratamentos farmacológicos, é a mais indicada", afirma. 

A profissional acrescenta que o programa de exercícios de fortalecimento, flexibilidade e propriocepção em pessoa com osteoartrite é considerado "padrão ouro" para o tratamento da doença. Os projetos em andamento fornecerão o programa de exercícios físicos aos voluntários e avaliarão se o uso adicional da crioterapia e/ou da laserterapia contribui para a diminuição dos níveis de dor, normalmente associados à doença, melhoria da função física e, consequentemente, da qualidade de vida dos indivíduos.

Voluntários

Para realização das pesquisas, estão sendo convidados homens e mulheres com dor no joelho e limitação física, com idade entre 40 e 75 anos, Índice de Massa Corporal (IMC) menor que 35 kg/m² (indivíduos com obesidade grau 2 e 3 não podem ser incluídos) e com sinais de osteoartrite de joelho de grau leve a moderado no exame radiográfico. 

Os participantes não podem ter realizado infiltração medicamentosa nos últimos seis meses, estar em tratamento fisioterapêutico nos últimos 3 meses, nem realizar atividade física regular e ter feito cirurgias no tornozelo, joelho ou quadril.

A intervenção é realizada na Unidade Saúde-Escola (USE), no Campus São Carlos da UFSCar em São Paulo. Os interessados em participar dos estudos podem entrar em contato com os pesquisadores pelo e-mail osteoartriteufscar@gmail.com.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.