Luta

Outubro Rosa 2017 promove autonomia de pacientes com câncer

Campanha nacional da FEMAMA mostra como pacientes e familiares podem enfrentar ativamente a doença

11:30 · 10.10.2017
Campanha FEMAMA
A campanha conta com quizz, vídeo, mobilização online, conteúdo para mídias sociais e materiais gráficos ( Foto: Divulgação )

Em sua décima edição, a campanha nacional Outubro Rosa visa conscientizar pacientes com câncer, bem como seus familiares, amigos e colegas, sobre a importância da informação e participar ativamente da tomada de decisões no enfrentamento da doença. A ação da Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (FEMAMA), “#PacientesNoControle – Atitude Exige Coragem”, chama a atenção também para a necessidade de conhecer os direitos que garantem acesso ao diagnóstico e tratamento.

Cerca de 960 mil novos casos de câncer serão diagnosticados no Brasil em 2017, de acordo com o INCA. Destes, aproximadamente 60 mil novos casos são de câncer de mama. Hoje milhares de pacientes e suas famílias, amigos, colegas convivem com a doença.

De acordo com a organização European Patients Forum, empoderar as pessoas que lutam contra o câncer promove o desenvolvimento e a implantação de políticas, estratégias e serviços de saúde, direcionados a capacitá-las para envolverem-se na gestão de sua condição.

“Essa abordagem amplia o pensamento crítico, analítico e autônomo do paciente, estimulando que participe das decisões referentes ao seu diagnóstico e tratamento. Além disso, oferece condições para reivindicar uma assistência em saúde efetiva, que atenda plenamente suas necessidades. A informação é uma ferramenta para assumir o controle”, afirma a Dra. Maira Caleffi, presidente voluntária da FEMAMA, instituição que trouxe, em 2008, o Outubro Rosa de forma organizada ao Brasil.

A iniciativa estende-se a todos que convivem com os pacientes, uma vez que um diagnóstico de câncer pode afetar o relacionamento social, familiar e profissional. “O dia a dia com a doença traz diversos desafios. Por isso é importante que os envolvidos sejam protagonistas nessa jornada, cientes de todas as possibilidades e capazes de reconhecer quando algo lhes é negligenciado”, reforça a especialista.

A campanha conta com quizz, vídeo, mobilização online, conteúdo para mídias sociais e materiais gráficos. Para participar, visite o site Pacientes no Controle

Lançamento Oficial

O lançamento da campanha Outubro Rosa aconteceu durante o 4º Congresso Brasileiro Todos Juntos Contra o Câncer, no dia 27 de setembro. Em painel dividido em cinco palestras, abordou o empoderamento de pacientes na rotina médica, bem como a busca pelo diagnóstico e pelo tratamento. Além da Dra. Maira Caleffi, também estiveram presentes: Patrícia Taddeo, fisioterapeuta da Universidade Estadual do Ceará; Lucy Bonazzi, psico-oncologista do Hospital Moinhos de Vento; Jô Nunes, presidente de honra e fundadora da Associação Brasileira de Síndrome de Williams; e Márcia Fernandes, paciente e embaixadora do Instituto da Mama do Rio Grande do Sul.

Mobilize-se 

Dentre as ações organizadas pela FEMAMA para o mês de outubro integrantes da campanha #PacientesNoControle está uma mobilização online solicitando que projetos de lei em tramitação na Câmara dos Deputados relativos ao acesso ao diagnóstico e tratamento do câncer tornem-se direitos efetivos para milhares de pacientes oncológicos no país. Alguns dos projetos tramitam há anos sem desfecho.

Neste pacote está um projeto de lei que determina a realização do diagnóstico em até 30 dias no Sistema Único de Saúde, prazo que consiste no período entre a suspeita do câncer até sua confirmação em biópsia. “Quando identificado cedo, as chances de cura do câncer de mama podem chegar a 95%; porém, atualmente não há nenhuma regulamentação neste sentido e pacientes aguardam longos períodos antes de confirmar a doença, sem receber tratamento e vendo sua situação se agravar”, conta a presidente voluntária da FEMAMA.

Também consta projeto de lei a respeito da inclusão de testes que apontem mutação nos genes BRCA1 e BRCA2 no SUS, capazes de avaliar a predisposição ao câncer de mama em mulheres com alto risco para a doença, permitindo medidas preventivas. Hoje, esses exames estão disponíveis somente na rede privada e o acesso a eles ainda ocorre de forma limitada.

Outros projetos solicitam a adoção do registro compulsório do câncer no país, medida necessária para ampliar e qualificar os dados sobre a doença e orientar melhor a gestão pública de recursos em saúde. Ainda há outros projetos sobre acesso à mamografia, ultrassonografia e acesso a tratamentos na rede pública de saúde.

Além da mobilização online, ONGs associadas à FEMAMA em todo o país farão caminhadas em suas cidades para conscientizar e mobilizar para o câncer de mama. A caminhadas devem se concentrar principalmente no dia 29 de outubro, repercutindo a campanha #PacientesNoControle em diversas regiões do Brasil. Em breve a agenda de caminhadas será divulgada.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.