Tratamento alternativo

Óleos essenciais podem auxiliar no tratamento da hipertensão

Anualmente, quase 300 mil pessoas morrem no Brasil de doenças cardiovasculares

08:00 · 01.05.2018
Óleos essenciais
Há uma variedade de essências que podem atuar na prevenção e controle de doenças, principalmente os vasodilatadores ( Foto: Divulgação )

A hipertensão mata 300 mil brasileiros por ano. Sendo hipertenso ou não, muitos reconhecem que uma alimentação balanceada e hábitos saudáveis são fundamentais para prevenir e manter sob controle os níveis da pressão arterial. No entanto, o que não sabem é que também existem alternativas para o controle e prevenção da hipertensão, como, por exemplo, o uso dos óleos essenciais.

Há uma variedade de essências que podem atuar na prevenção e controle de doenças, inclusive para a pressão alta, como os vasodilatadores - estes contêm substâncias capazes de promover a dilatação dos vasos sanguíneos, ou seja, aumentam o diâmetro do vaso, melhorando o fluxo de sangue e, por consequência, facilitando o transporte de oxigênio e nutrientes para os músculos.

"Além do fator alimentação adequada e uma vida saudável, sabemos que o estresse e a ansiedade contribuem para o aumento da pressão arterial. Nesse caso, o mais indicado é o óleo de lavanda, pois, além de ajudar a reduzir a pressão também age como sedativo", explica o cientista aromatólogo Fábían Laszlo.

Fábían, que também é professor, indica ainda o óleo de capim limão, por também ser um vasodilatador e por atuar como ansiolítico, assim como a essência de laranja. "Cada pessoa é única, tem as suas particularidades e, se tratando de um hipertenso é preciso cautela quanto à escolha adequada para cada indivíduo", finaliza.

Doença grave

A hipertensão é responsável por 40% dos infartos, 80% dos acidentes vascular cerebral (AVC) e 25% dos casos de insuficiência renal termina no Brasill.

Além disso, a doença é grave, também, por ser uma "inimiga silenciosa", pois muitas vezes o paciente não sente os sintomas. Quando ocorrem , as manifestações mais comuns a ela atribuídas, entre as quais dor de cabeça, cansaço, tonturas, sangramento pelo nariz podem não ter uma relação de causa e efeito com a elevação da pressão arterial. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.