Dicas

Nutricionista incentiva Páscoa saudável com o consumo de peixe

Cuidados durante a compra e a conservação dos alimentos também são importantes para aproveitar a data festiva

08:00 · 30.03.2018
Peixe
Segundo nutricionista, vale a pena aproveitar o período da Páscoa para consumir mais peixes ( Foto: Divulgação )

A Páscoa é um período em que muitos acabam exagerando na alimentação, com refeições mais calóricas. No entanto, é possível preparar receitas saudáveis e sem excessos no período. 

Segundo a nutricionista Rosana Perim, vale a pena aproveitar o período e consumir mais peixes devido aos benefícios do prato. Segundo a gerente de nutrição do HCor (Hospital do Coração),  os peixes possuem proteínas de fácil digestão, e com uma valor nutritivo superior ao das carnes vermelhas. Além disso, são ricos em substâncias que o corpo não produz, como o ômega 3 - um aliado do coração.

O bacalhau, a grande atração do almoço, pode ser desfiado, servido em postas ou em lascas. O cuidado começa no pré-preparo. Um dessalgue correto é o primeiro passo para o sucesso da receita. “É preciso que se tomem alguns cuidados durante o dessalgue do bacalhau, principalmente para os hipertensos. A recomendação é deixar o peixe por mais tempo de molho, e fazer as trocas mais frequentes de água”, recomenda.

Outra dica saudável é preparar o bacalhau regado com azeite de oliva, rico em gordura monoinsaturada, benéfica para o coração, e também contém substâncias antioxidantes que impedem a ação dos radicais livres, que provocam a oxidação do colesterol, o acúmulo de placas de gorduras nos vasos sanguíneos e também o envelhecimento das células.

“Para aqueles que não apreciam o bacalhau, mas são amantes de peixes, não faltam boas opções como: pescada, salmão, linguado, sardinha, que são ricos em ômega 3. Por isso, é hora de aproveitar essa tradição e usufruir desses deliciosos e saudáveis alimentos e, principalmente, criar opções de prepará-los e servi-los à mesa de forma impecável”, recomenda Rosana Perim.

Compra e conservação

Normalmente não há diferença de qualidade entre peixes frescos e congelados, mas alguns cuidados com a conservação e o transporte do alimento devem ser observados pelo consumidor. “Na hora da compra é importante verificar o brilho dos olhos, a cor e o odor do pescado. Sua consistência deve ser firme e a carne não deve afundar ao sofrer a pressão dos dedos. O ideal é adquirir produtos de estabelecimentos certificados pelos órgãos fiscalizadores”, explica.

Quando optar pela compra do pescado congelado, é importante ficar atento para que o produto não descongele durante o seu transporte. “Caso isso aconteça, o ideal é que o peixe não volte para o congelador e, sim, que seja preparado para consumo”, aconselha.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.