Adaptação

Idosos aderem aos aplicativos em busca de praticidade no cotidiano

Uso da tecnologia possui efeitos positivos nas funções cognitivas e auxilia em tarefas funcionais

13:00 · 18.08.2018
Idosa e tecnologia
O uso de novas tecnologias pelos idosos está associado positivamente a hábitos mais saudáveis e ao envelhecimento ativo ( Foto: Divulgação )

Com o crescimento considerável de grupos populacionais em envelhecimento em todo o mundo, o estilo de vida dos idosos vem se transformando. Hoje em dia, a rotina sedentária está se afastando da realidade destas pessoas. Para elas, se manter ativas é sinônimo de independência e uma grande aliada nesta tarefa é a tecnologia.

Engana-se quem pensa que computadores, tablets e celulares modernos são exclusividade dos jovens e permanecem inacessíveis para quem já ultrapassou a casa dos 60 anos. Estudos recentes, como um realizado pela Universidade do Texas, afirmam que o uso da tecnologia por idosos possui efeitos positivos na preservação e na ampliação das funções cognitivas, melhoria da memória, velocidade de resposta, raciocínio, resolução de problemas, atenção, aperfeiçoamento de habilidades visuais-espaciais, entre outros benefícios.

'O uso de novas tecnologias pelos idosos está associado positivamente a hábitos mais saudáveis e ao envelhecimento ativo, além de trazer benefícios de aprendizagem, funcionais e cognitivos e auxiliá-los nas relações sociais e nas habilidades funcionais. Esse contato digital facilita o acesso a serviços de saúde, aumenta o contato com familiares e amigos, reforça sua participação em atividades de lazer e auxilia em atividades diárias', explica Gláucia Martins, mestre em gerontologia pela USP.

"Nova geração"

Aos 68 anos, Meire Rimkus é o retrato perfeito da 'nova geração' de idosos conectados. Há dez anos faz uso de smartphones e, aos poucos, foi encaixando os aplicativos no dia a dia. Facebook e WhatsApp são os mais utilizados pela professora aposentada. 

Sobre pertencer à terceira idade, dona Meire não se considera incapacitada quando questionada sobre a adaptação ao uso de aplicativos. "Que negócio é esse de idosa? Aí eu não gostei", respondeu bem humorada, mostrando que possíveis limites podem ser superados e que todos podem aprender a lidar com tecnologia. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.