Poluição sonora

Homens são mais suscetíveis à problemas de audição do que mulheres, aponta pesquisa

Hormônios femininos protegem a audição, fazendo com que o declínio auditivo se inicie mais tardiamente

09:32 · 13.04.2018
Orelha
O ouvido humano acostuma-se com frequências mais altas à medida que é exposto ao barulho ( Foto: Divulgação )

Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde, realizada pelo IBGE com apoio do Ministério da Saúde, os homens são mais suscetíveis à problemas de audição do que as mulheres. Em toda a população a proporção é de 1,2% no sexo masculino e 1,0% no sexo feminino. Isso acontece porque os hormônios femininos 'protegem' a audição, fazendo com que o declínio auditivo se inicie mais tardiamente nas mulheres do que nos homens.

Essa diferença entre os sexos só diminui quando as células auditivas começam a morrer naturalmente, por volta dos 50 anos. No entanto, isso não significa que elas podem descuidar da saúde auditiva. Cada vez mais as mulheres convivem com o barulho no cotidiano, principalmente as mais jovens.

"A poluição sonora é um dos principais vilões. O ouvido humano acostuma-se com frequências mais altas à medida que é exposto ao barulho. Por isso eu recomendo manter distância de ambientes barulhentos e ouvir música e assistir TV sempre em volumes abaixo de 85 decibéis", alerta a fonoaudióloga Isabela Papera.

Esse tipo de poluição, segundo Isabela, está na música alta nas aulas da academia; no happy hour em bares; nas baladas dos fins de semana; no som nas alturas nos fones de ouvido para a corrida matinal ou até mesmo durante a ida ao trabalho. 

Estudos 

Um outro estudo, este realizado em uma clínica de audição em Massachusetts (EUA), mostrou que as mulheres também se sentem mais à vontade para falar de sua perda auditiva, enquanto os homens preferem esconder essa perda, mesmo que isso prejudique a sua comunicação. Comprovando essa resistência, outra pesquisa na Islândia mostrou que homens idosos com perda auditiva e visual têm grande risco de morrer em um período de cinco anos, caso não usem aparelho auditivo.

“Acima dos 50 anos é recomendado que tanto homens quanto mulheres consultem um otorrinolaringologista anualmente. O médico irá checar se está tudo bem com a audição e pode recomendar uma audiometria, exame que avalia o grau de perda auditiva. A partir daí, será identificado o melhor tipo de tratamento, que pode ser com o uso de aparelhos auditivos”, explica a Fonoaudióloga da Telex.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.